Turb encerra atividades na quarta (31) em Ribeirão Preto, diz sindicato

De acordo entidade, linhas serão assumidas pela Rápido D’Oeste e Transcorp

ADAMO BAZANI

A Turb  – Transporte Urbano S/A,  do Grupo Comporte, vai encerrar a operação do transporte público de Ribeirão Preto, no interior paulista, na próxima quarta-feira, 31 de março de 2021.

A informação foi publicada na noite desta segunda-feira (29) pelo presidente do Seeturp – Sindicato dos Empregados do Transporte Urbano de Ribeirão Preto, João Henrique Bueno, nas redes sociais.

De acordo com Bueno, as linhas passarão a ser operadas, pelas empresas Rápido D’Oeste e Transcorp a partir de 01º de abril de 2021.

Hoje o SEETURP esteve presente na reunião da empresa TURB com seus empregados.

O Sr.Cherulli, Diretor da empresa, comunicou que a empresa estará encerando suas atividades em Ribeirão Preto na próxima quarta-feira dia 31.03.21 por não suportar continuar com os prejuízos acumulados, não tendo caixa disponível para a rescisão contratual de todos e que a partir de quinta-feira: 01.04.21 as linhas passarão a ser operadas, pelas empresas: Rápido D’Oeste e Transcorp.

O Presidente do sindicato expôs aos presentes as questões legais, por tratar-se  de encerramento da empresa e apresentou as propostas da Turb para as rescisões contratuais, sanou dúvidas e garantiu que nenhum empregado fosse constrangido ou pressionado a assinar qualquer documento contrários a sua vontade., diz o comunicado.

Em seu portal, a Turb diz que foi fundada em 1º de janeiro de 2003 e tem uma frota de 106 ônibus, que operam em 26 linhas convencionais, 1 circular e 8 alimentadoras.

Antes da pandemia, eram transportados por mês, em média, 780 mil passageiros pagantes e mais 520 mil passageiros gratuitos. O total de funcionários, também antes da pandemia, de acordo com o portal, era de pouco mais de 260 pessoas.

O Diário do Transporte não conseguiu localizar nenhum representante da Turb para comentar

Em 13 de janeiro de 2021, o sindicato já havia anunciado o fim das operações da empresa

Relembre:

Turb, em Ribeirão Preto, é vendida e vai encerrar as operações, diz sindicato

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    E o mundo morrendo rapidamente. Na verdade já explodiu.Fruto da falência ética e moral generalizada desnudada pela Covid.Aqui em Rio Grande a Noiva do Mar esteve perto de ir pro saco depois de 10 dias de greve,que acabou hoje-a empresa voltou a operar,mas dividindo meio a meio com a Transpessoal,do Grupo Kopereck,que detém o monopólio do transporte coletivo de Pelotas,cidade vizinha,com outras duas empresas,a Conquistadors e a Laranjal.além de fretamento,intermunicipal e atuando na região da Campanha(Bagé,Candiota,Hulha Negra,Pinheiro Machado e etc..)A Transpessoal é aquela que anos atrás caiu o motor de um ônibus,daqueles Torino GV,ex-Porto Alegre.Na época atuava em Pelotas,fechou por causa da licitação do transporte coletivo de Pelotas de 2016 e ressurgiu em 2019 em Rio Grande com o fim da Cotista.É, a do ônibus que pegou fogo em 2006,2007,por aí.

  2. Renata disse:

    Vão tarde, caloteiros! Devem milhões para Transerp. Além de baterem nos carros estacionados e não pagarem. Vão com Deus e sumam da cidade por favor. Grata!

Deixe uma resposta