Arábia Saudita anuncia cidade sem carros e com transporte público de alta velocidade com ferrovia e ônibus elétricos

Príncipe herdeiro Mohammed bin Salman em anúncio do projeto “The Line”

Local terá um milhão de habitantes, 170 quilômetros de comprimento e preservará 95% das áreas naturais

ADAMO BAZANI

Imagine uma cidade sem carros, livre de emissões por combustíveis fósseis, com uma rede eficiente de transporte público e que preserve quase 100% de seus espaços naturais com uma população de milhão de moradores?

E se essa “cidade ecológica” for num dos países que mais lucram com o Petróleo?

Ilusão?

Não, mas ao menos uma promessa.

A Arábia Saudita anunciou a criação de uma cidade livre de emissões e de carros, só contando com ônibus não poluentes e trens de alta velocidade.

A “The Line” ficará no Neom, área no noroeste do país que tem como principal economia justamente o Petróleo.

As obras devem começar ainda neste primeiro trimestre de 2021 e serão financiadas pelo Fundo Saudita de Investimento Público (PIF), que promove a diversificação econômica do país.

De acordo com a Agência Brasil, o anúncio da criação deste “oásis urbano” foi feito pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salman em comunicado transmitido na televisão.

“Como presidente da direção da Neom, apresento “The Line”, uma cidade que pode acomodar 1 milhão de habitantes, tem 170 quilômetros de comprimento e preservará 95% das áreas naturais. Não haverá carros, estradas e terá emissões zero de carbono” – disse.

Comércios, polos de geração de emprego e renda, escolas, hospitais e demais serviços serão pensados para ser distribuídos pela cidade de modo com que as pessoas não precisem se deslocar mais de 20 minutos a pé ou de transporte público.

A cidade ainda terá diversos espaços verdes, todos também perto das casas das pessoas.

O príncipe chegou a classificar o projeto como uma “revolução civilizacional”.

 “Devemos transformar as cidades em cidades do futuro”, disse

O projeto vai se basear em tecnologias de inteligência artificial (IA) e uso “equipamento de baixo impacto de carbono, alimentado a 100% por energia renovável”.

A estimativa é que o projeto crie 380 mil empregos com uma contribuição para o Produto Interno Bruto em 180 bilhões de riyals (moeda da Arábia Saudita), o que equivale a mais de 39 bilhões de euros até 2030, de acordo com a nota da Neom.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Deixe uma resposta