Ônibus do transporte público de Belém (PA) recebem nova identificação visual

Semob determinou a supressão do código de identificação pintada na lateral e na traseira do veículo. Foto: Divulgação / Agência Belém.

Empresas têm até 16 fevereiro de 2021 para aplicar mudanças definidas pela Prefeitura

JESSICA MARQUES

Os ônibus do transporte público de Belém, no Pará, vão receber nova identificação visual neste ano de 2021.

A Semob (Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém) determinou a supressão do código de identificação das linhas pintada na lateral e na traseira do veículo.

Conforme informado por meio de nota, a mudança “tem o objetivo de possibilitar a otimização da frota com a utilização dos veículos do Sistema de Transporte Público Coletivo em linhas que, eventualmente, necessitem de reforço de oferta, assim como o atendimento em trechos críticos de itinerários, principalmente nos horários de pico”.

Com a mudança, a sequência alfanumérica passa a ter apenas as duas letras que identificam a empresa junto ao órgão de transporte, e o número do veículo dentro da empresa (ex: XX-0001, XX-0002, e assim sucessivamente).

A sequência é utilizada para o registro de uma denúncia ou reclamação de usuários junto à SeMOB, para que o órgão consiga identificar o veículo e os operadores do mesmo no momento do registro da ocorrência, como queima de parada, desvio de itinerário, destrato de usuário, entre outros casos.

A determinação foi publicada no Diário Oficial do Município de 18 de dezembro de 2020.

Atualmente, todos os ônibus têm na identidade visual uma sequência alfanumérica que identifica a empresa, o número da linha e o número do ônibus.

“Esse número da linha, por regulamento, não permite mobilidade de veículos dentro de uma mesma empresa, e se um veículo é flagrado em uma fiscalização fazendo itinerário de outra linha ele é autuado. Isso provoca distorções, como linhas por vezes sobrecarregadas, necessitando de mais veículos, e outras linhas com veículos ociosos. Essa simples supressão da numeração da linha, portanto, dará mais mobilidade para melhor atendimento da população”, justificou a Prefeitura, em nota.

IDENTIFICAÇÃO

Com a mudança, os usuários devem estar atentos a outra mudança na inscrição lateral do veículo que indica bairro ou origem, que agora passa a ter uma identificação geral da área de atuação, dividida em Central, Transição, Augusto Montenegro, Arthur Bernardes e BR-316.

“Com a identificação da área de atuação, que é mais ampla do que o nome de alguma rua de referência como atualmente ocorre, a população terá noção que aquele veículo vai para determinada área da cidade, o que também melhora a mobilidade”, informou a Prefeitura, em nota.

PRAZOS

As empresas de ônibus têm 60 dias para fazer as adequações, a contar do dia 18 de dezembro de 2020. Ou seja, até 16 fevereiro de 2021 as mudanças já devem estar em vigor.

O transporte complementar por micro-ônibus e vans, recentemente inseridos no sistema de transporte público de passageiros em Belém, também está com prazo para a conclusão na padronização visual.

Neste caso, o regulamento do transporte prevê que os veículos tenham a pintura branca, com uma plotagem aplicada. A Semob concedeu um prazo de 90 dias, a contar de 15 de dezembro, para que essa adequação seja finalizada.

Dentro de 90 dias, portanto, os veículos complementares que fazem linhas regulares em Belém podem circular com outras cores, desde que com a identidade visual plotada. Passado o prazo, a fiscalização passa a ser aplicada pela Semob e as cooperativas podem ser autuadas conforme o regulamento deste tipo de transporte.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta