Secretária descarta aumento da tarifa de ônibus no Rio de Janeiro e fará auditoria do sistema

Ônibus municipal do Rio de Janeiro

De acordo com Maína Celidonio de Campos, um estudo está sendo feito para promover uma melhoria no atendimento aos usuários

WILLIAN MOREIRA/ADAMO BAZANI

Durante vistoria na estação do BRT Santa Cruz, na cidade do Rio de Janeiro, nesta segunda-feira, 04 de janeiro de 2021, a secretária municipal de Transportes, Maína Celidonio de Campos, anunciou que não haverá reajuste na tarifa de ônibus neste ano.

Segundo a economista, escolhida para integrar a equipe de governo de Eduardo Paes, além da manutenção do valor atual da passagem, nos próximos dias, o sistema como um todo passará por auditoria, verificando pontos de problemas e assim apontar possibilidades de melhoria da operação do serviço.

Como mostrou o Diário do Transporte, Paes publicou decreto determinando que a SMTR– Secretaria Municipal de Transportes conclua até 31 de janeiro um Plano de Ações para recuperação do sistema de BRT (Bus Rapid Transit), que consiste nos corredores Transoeste, Transcarioca e Transolímplica. O corredor Transbrasil ainda está em construção, com obras atrasadas.

Após a apresentação, o plano deve ser concretizado até o final de 2021, de acordo com o decreto Rio nº 48392 de 1º de janeiro de 2021.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/01/04/eduardo-paes-cria-acao-integrada-e-publica-decreto-para-plano-de-recuperacao-do-brt-do-rio-de-janeiro/

A secretaria de Transportes diz que está levantando o número de ônibus disponíveis em uso e parados atualmente para saber quantos podem já entrar em circulação, ampliando a disponibilidade de viagens  e lugares no sistema.

Paralelamente a esta ação,  um estudo de demanda será concluído epara constatar quais estações do BRT tem maior fluxo de passageiros em determinados horários, priorizando as linhas que atendem estes pontos. Um dos objetivos é diminuir as aglomerações nos veículos.

A prefeitura do Rio e o consórcio que opera o BRT devem ainda neste mês discutir casos como de linhas com baixa demanda, sem atendimento ou com problemas como pontualidade.

Sobre a tarifa, Maína disse que não está no calendário o aumento da passagem na capital fluminense e que os problemas de cálculo do valor cobrado e o contrato da prestação do serviço serão analisados.

Na manhã de hoje (4) também foi ordenada a limpeza de 22 estações do BRT que possuem um movimento alto de pessoas para evitar a transmissão do coronavírus.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Isabel silva disse:

    Ainda bem que não vai ter aumento, até porque o valor de 4,05 já é caro não é de hoje e além do mais, a maioria dos ônibus estão muito ruins, velhos, caindo aos pedaços, sem ar condicionado. Tem linha que chacoalha tanto, como a do 584 ( Cosme Velho/Leblon), que só falta desmontar! Ah! E poucos ônibus e poucas opções de ônibus para certos lugares.
    Está é minha visão e de muitos.com quem converso, muita reclamação! Obrigada.

Deixe uma resposta