Rodoviários de Recife e Região Metropolitana aprovam greve de ônibus para terça (22)

Trabalhadores protestam contra descumprimento de um acordo firmado com o TRT. Foto: Sindicato dos Rodoviários do Recife e Região Metropolitana / Reprodução Facebook.

Paralisação será por tempo indeterminado, segundo a categoria

WILLIAN MOREIRA

Os trabalhadores do transporte coletivo de Recife e Região Metropolitana, em Pernambuco, aprovaram o início de uma greve de ônibus a partir da meia-noite de terça-feira, 22 de dezembro de 2020. A paralisação será por tempo indeterminado, conforme definido em assembleia realizada nesta quarta (16).

Segundo o Sindicato dos Rodoviários do Recife e Região Metropolitana, entre as reivindicações está o cumprimento da Portaria 167/2020, que revogou a autorização excepcional para que ônibus circulem sem cobrador, eliminando assim a dupla função atualmente exercida pelos motoristas.

A categoria também reivindica o pagamento imediato dos salários e ticket alimentação, conforme acordo firmado com o TRT (Tribunal Regional do Trabalho), além da garantia do emprego por pelo menos mais seis meses.

Também é pedido pelo sindicato a proibição de participação na próxima licitação de empresas que não estejam de acordo com o que foi firmado junto ao Tribunal.

A categoria solicita ainda que seja efetuado o pagamento de R$ 400 do ticket alimentação, independentemente do número de dias trabalhados. Os rodoviários pedem ainda que o valor também seja pago aos trabalhadores com afastamento médico ou atualmente em benefício do INSS, mantendo a proposta votada na assembleia de 17 de novembro.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. Gustavo Pereira disse:

    Sempre quem é o prejudicados é o povo. A população que não tem nada haver com os problemas dos empresários seus colaboradores.

  2. EVILSON GOMES DA SILVA disse:

    estão reedificando os seus direito perante a lei, culpado são os empresários.

Deixe uma resposta