ÁUDIO: Ônibus gerenciados pela EMTU também vão aceitar o QR Code e o aplicativo Top, diz Baldy

Sistema vai substituir gradativamente bilhetes mais antigos

Sem dar datas, secretário disse que sistema vai substituir Cartão BOM. Tecnologia estará disponível para prefeituras da Grande São Paulo se quiserem aderir

ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA

Após ser adotado oficialmente desde 11 de dezembro de 2020 no Metrô e na CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), o aplicativo “TOP” de bilhetagem eletrônica em forma de QRCode também vai ser incorporado nos transportes gerenciados pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), seja nos ônibus comuns, ônibus seletivos e no sistema de ônibus e trólebus do Corredor Metropolitano ABD.

A informação é do Secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, em resposta aos questionamentos do Diário do Transporte durante evento de entrega da revitalização da ciclovia que margeia o Rio Pinheiros e a linha 9 da CPTM.

Sem dar datas, Baldy disse que gradativamente o sistema vai substituir o Cartão BOM e, se quiserem, as prefeituras das 39 cidades da Grande São Paulo também poderão aderir à tecnologia.

“O Bilhete TOP será incorporado pela EMTU nos ônibus metropolitanos. Ele irá substituir o BOM. O que é bom será top. Será em todos os ônibus metropolitanos numa transição, assim como também haverá transição para substituir os bilhetes físicos Edmonson (unitários do Metrô e CPTM de papel com tarja magnética no meio), que é o grande motivador dessa nova solução para que as pessoas não utilizem mais dinheiro, não utilizem mais o contato físico das bilheterias, se assim o desejarem. Essa opção, que o governo do Estado disponibiliza neste momento para que faça tudo pelo meio virtual na palma da sua mão com o celular e o smartphone e que, se necessário, e se for desejado, todas as 39 prefeituras aqui da região metropolitana de São Paulo, como a prefeitura de São Paulo, poderão integrar este novo sistema de bilhetagem “TOP”  que o Governo do Estado de São Paulo coloca neste momento no Metrô e na CPTM, no médio prazo na EMTU, e, claro, pode ser sim incorporado nos sistemas municipais de ônibus daqueles que o desejarem” – disse Baldy.

Ouça:

METRÔ E CPTM:

O sistema de QR Code com a compra pelo aplicativo TOP começou, depois de um período de testes, a operar no Metrô e na CPTM de forma oficial em 11 de dezembro de 2020.

O app pode ser baixado gratuitamente em celulares de sistema iOS e Android por meio de lojas virtuais Google Play e App Store.

O aplicativo que era usado como testes, o VouD foi descontinuado para as vendas de passagens unitárias da CPTM e Metrô, mas continua para as outras funções, como recarregamento de Bilhete Único e do Cartão BOM.

Pelo TOP, da empresa Autopass, o passageiro vai poder pagar a tarifa unitária com cartões bancários de crédito e débito.

Após a compra, o código é gerado no celular.

As estações da CPTM e Metrô também venderão o código impresso em papel.

Os bilhetes unitários do tipo Edmonson, de papel-cartão com uma tarja magnética, continuam, mas gradativamente deixarão de existir.

O Bilhete Único e o Cartão BOM continuam sendo usados normalmente por tempo indeterminado.

Em nota, o governo do Estado explica que pelo aplicativo podem ser compradas dez viagens por dia.

O novo Bilhete Digital QR Code da CPTM e do Metrô tem o mesmo valor do anterior (conhecido como Edmolson), R$ 4,40 por passagem, e conta com a praticidade de poder ser adquirido e utilizado direto pelo celular, por meio do aplicativo TOP, disponível para celulares Android e IOS. O uso do QR Code em versão mobile para pagamento de tarifas torna-se um aliado para uma mobilidade mais segura, uma vez que o pagamento é feito por cartão de débito ou crédito, sem necessidade de manuseio de dinheiro. O passageiro pode adquirir, diariamente, até 10 bilhetes que ficam disponíveis no app sem prazo para expirar.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. Claudio disse:

    Poderia arrumar um jeito da passagens da emtu ser valores diferentes de municipal e intermunicipal, passando o codigo do celular, novo cartão e tá no mesmo município seria cobrado passagem barata como municipal, se tá segundo município pouco caro, terceiro município mais caro, até o último municipio do ponto final valor atual cobrado.

  2. Reinaldo da Silva Sacramento disse:

    Fica caro punir o passageiro q mora longe ja q existe infinidades de itinerários e tem passageiros mesmo assim utilizam metro e ônibus intermunicipal + SP trans + trem + metrô…

    Inventam tanto parecendo prof pardal já tem bilhete único e cartão bom pq unificar os cartões na região metropolitana por completo…
    Bilhete único e cartões de outros municípios da regio metropolitana…

    E sim na próxima renovação de cartão ou 2° via ser criado novo cartão magnético Bom único

    Papel barato entre aspas se vai ter bilheteria ou caixas específicos não iria trazer aglomeração tb tem q pensar na transição usar o ja esta consolidado bilhete único e cartão bom…

    Além do papel impresso ser facilmente rasgado e tinta parecida com as de extrato bancário apagam e desabotam facilmente no bolso ou dobrado imagina dia de chuva ou dia úmido vai complicado como sempre quem ja tem inúmeras dificuldades e os idosos até compreenderam novo sistema

Deixe uma resposta