Diário no Sul

Pela primeira vez Rio Grande do Sul tem regiões com risco altíssimo para coronavírus

Ônibus da Empresa Santa Cruz em Pelotas (RS). Foto: Pedro Silva / Ônibus Brasil

Regiões de Bagé e Pelotas estão em bandeira preta, o que significa nível mais alto de restrições. Transporte coletivo só pode circular com 50% da capacidade caso classificação seja confirmada nesta segunda (14)

ALEXANDRE PELEGI

As regiões de Bagé e de Pelotas, no sul do estado do Rio Grande do Sul, foram classificadas, nesta sexta-feira, 11 de dezembro de 2020, na bandeira final preta, restrição máxima prevista pelo modelo de Distanciamento Controlado, metodologia de controle criada para combater a disseminação do corononavírus.

Segundo comunicado do governo do estado, são 21 as regiões, das quais 18 regiões estão na bandeira vermelha (risco epidemiológico alto). Apenas a região de Cruz Alta recebeu classificação final de bandeira laranja (risco epidemiológico médio).

A bandeira preta significa que tanto a capacidade hospitalar como o contágio por coronavírus alcançaram níveis críticos nas regiões de Bagé e Pelotas.

Como a classificação ainda é preliminar, caso ela seja mantida no mapa definitivo, a ser divulgado na segunda-feira (14), as restrições mais rígidas serão aplicadas a partir da terça-feira (15).

No caso do Transporte coletivo, metropolitano e municipal, os ônibus deverão circular com apenas 50% da capacidade.

O serviço público deverá atuar com no máximo 25% dos trabalhadores presencialmente. Os demais, deverão trabalhar em home-office.

Apenas os serviços essenciais continuarão operando com 100% dos trabalhadores e atendimento presencial.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Deixe uma resposta