Diário no Sul

Governo do Paraná anuncia empresa habilitada em licitação de ferry-boat da travessia Guaratuba-Matinhos

O transporte por meio do ferryboat de Guaratuba, que dá acesso ao balneário de Caiobá, em Matinhos, é utilizado há 60 anos; Foto: Governo do Paraná

Entre duas participantes, apenas a Três Mosqueteiros prosseguirá no certame. Próxima fase avaliará propostas de tarifas

ALEXANDRE PELEGI

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR) do Governo do Estado do Paraná anunciou nesta sexta-feira, 11 de dezembro de 2020, em publicação no Diário Oficial da União, o resultado da fase de habilitação da Concorrência Pública para Exploração da Infraestrutura e da Prestação do Serviço Público de Transporte Coletivo Aquaviário de veículos e passageiros na travessia da Baía de Guaratuba, na Rodovia PR-412.

Como mostrou o Diário do Transporte, por causa de decisão do Tribunal de Contas do Estado do Paraná, o DER havia suspendido o certame por tempo indeterminado (Sine Die) no dia 11 de setembro de 2020.

Em publicação no DOU de 27 de novembro, após ser revogada a medida cautelar do TCE-PR, o certame finalmente pode prosseguir, sendo marcado para 1º de dezembro.

Apenas duas empresas participaram da Concorrência.

Após análise pela Comissão de Julgamento dos documentos de Habilitação, apenas a empresa Três Mosqueteiros Comércio e Navegação Eireli foi habilitada a prosseguir no certame.

Já a empresa F. Andreis Neto Eireli foi inabilitada pela Comissão, e poderá agora apresentar recurso para prosseguir no certame e aceder à próxima etapa, que será a Sessão Pública de abertura de Propostas de Tarifas.



Atualmente a travessia de veículos e passageiros da Baía de Guaratuba está sob responsabilidade da concessionária Travessia de Guaratuba (F. Andreis).

O contrato venceu em abril do ano passado, e foi prorrogado por mais um ano para que o governo pudesse licitar o serviço.

O DER/PR realizou uma consulta pública no início deste ano para discutir a proposta da concessão e o edital da licitação.

O novo contrato terá prazo de 10 anos, e o valor estimado da contratação é de R$ 134 milhões.

PONTE

Em outubro de 2017, o ex-governador Beto Richa chegou a lançar o edital de licitação para um Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) da Ponte de Guaratuba.

A construção da ponte vai facilitar o deslocamento entre as cidades de Matinhos e Guaratuba, que atualmente é feito pelo ferry-boat.

Em maio de 2018 o governo homologou o resultado da licitação à empresa Engemin Engenharia e Geologia, com prazo de entrega do trabalho em abril de 2019, a um custo de R$ 800 mil.

Em abril de 2020, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR) publicou no Diário Oficial da União o aviso de manifestação de interesse de empresas para contratação dos serviços de elaboração dos estudos ambientais e dos projetos básicos e executivos.

No ato do lançamento, o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, afirmou tratar-se de um projeto histórico para o Estado, que finalmente começava a sair do papel.

A ponte de Guaratuba é um sonho antigo de todos os paranaenses. É um projeto que trará benefícios enormes para a integração de todo nosso litoral e que vai facilitar bastante o deslocamento entre as praias, especialmente na alta temporada, quando mais de 400 mil veículos realizam a travessia com o ferry -boat”, afirmou o secretário.

O chamamento público para manifestação de interesse foi incluído no Programa Estratégico de Infraestrutura e Logística de Transportes do Paraná, que conta com financiamento do Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID). “O acordo entre BID e Governo do Estado prevê mais de R$ 940 milhões de investimentos nas mais importantes obras e projetos de infraestrutura no Paraná e, por isso, incluímos esses novos estudos da ponte de Guaratuba como parte do programa”, destaca o diretor-geral do DER/PR, Fernando Furiatti.

A travessia entre Matinhos e Guaratuba é feita pelo sistema de ferry-boat há mais de 50 anos. Desde 1996, o transporte coletivo aquaviário de veículos neste trecho é feito pela Concessionária Travessia de Guaratuba. A construção da ponte garantirá o deslocamento rodoviário.

Com a finalização dos Estudos de Viabilidade Técnica Econômica e Ambiental (EVTEA), em 2019, foram propostas algumas alternativas para o traçado da ponte.

A extensão estimada é de pouco mais de 800 metros, com início na região da Prainha, no lado Norte da travessia, e término no lado Sul, na Praia de Caieiras, no perímetro urbano de Guaratuba.

No trecho final está prevista ainda a construção de um túnel, com aproximadamente 260 metros de extensão, terminando na área próxima às instalações de manutenção do ferry-boat. (Fonte: Governo do Paraná)

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. Jose Reichert disse:

    Penso acima de Tudo que a empresa ganhadora se importe com os passageiros que utilizam o transporte. Tem que ter máximo de segurança é uma estrutura muito bem preparada para atuar nesse Ramo.pois a natureza Sempre tem surpresas com tristeza as famílias AVANTE BRASIL

  2. José Carlos Biscaia disse:

    E pelo que consta no documento aqui publicado, parece que teremos apenas mudança de razão social ou estou equivocado?Guaratuba parece que gosta de ficar sempre nas mãos dos mesmos. Esperamos que desta vez façam melhorias e melhorem a qualidade na prestação dos serviços, e que implantem sistema automático de cobrança nos guiches.

Deixe uma resposta