Todo BRT Rio é paralisado nesta segunda-feira (30) e congestionamento chega a 131 km

Homem que furtou BRT e passageiros foram levados ao 16 DP - Foto: Divulgação/ Operação Segurança Presente

ATENÇÃO:

Sistema voltou à operação nesta terça-feira, 01º de dezembro de 2020

ACESSE:

 

BRT Rio volta a operar nesta terça (01)

Ao menos 180 mil passageiros foram afetados. Relatos de passageiros descrevem depredações de ônibus

ADAMO BAZANI

Atualizado às 20h45

Os três corredores do BRT Rio (Transoeste, Transcarioca e Transolímpica) foram paralisados no início da tarde desta segunda-feira, 30 de novembro de 2020, por causa de protestos de motoristas e cobradores de ônibus.

A manifestação avançou a noite e no horário de pico da volta para a casa, a CET-Rio registrou 131 km de congestionamento.

O consórcio de empresas de ônibus que opera os corredores informou no final da noite que se comprometeu a pagar 30% do benefício para que as operações fossem normalizadas.

“A fim de evitar novos transtornos aos passageiros, como os registrados na tarde e na noite desta segunda-feira, dia 30, o BRT Rio utilizará os recursos de compromissos futuros e pagará os 30% restantes da primeira parcela do 13º salário nesta terça-feira, dia 1º de dezembro. A medida visa, única e exclusivamente, atender às necessidades dos usuários que dependem do BRT para o deslocamento diário”.

De acordo com a prefeitura do Rio de Janeiro, mais de 180 mil passageiros foram prejudicados.

O Consócio BRT Rio foi autuado pela administração municipal para tomar medidas com o objetivo de reduzir os impactos da paralisação.

Em suas redes sociais oficiais, o Consórcio BRT informou no início da tarde que o “movimento acarretou irregularidades nos intervalos, inviabilizando a operação”.

A principal queixa é o parcelamento do 13º salário em empresas como Transportes Barra e Caprichosa.

Em redes sociais, passageiros postaram imagens de ônibus sendo depredados em terminais supostamente por outros usuários revoltados com a paralisação, como ocorreu nas regiões do Alvorada e Jardim Oceânico.

REFORÇO EM OUTRAS OPÇÕES:

Linhas de ônibus comuns de empresas não envolvidas na paralisação foram reforçadas.

A Supervia, operadora dos trens suburbanos, informou que colocou mais três composições para reforçar o atendimento.

Já o Metrô Rio diz que reforçou os agentes de segurança nas estações, além de operadores, para evitar tumultos e orientar os usuáriso.

REVOLTADO, PASSAGEIRO FURTOU BRT:

Além das cenas típicas do transtorno de paralisação de serviços de transportes, o protesto dos funcionários das viações que operam o BRT teve também um fato peculiar.

Revoltado com a demora para os ônibus saírem, um homem furtou um veículo BRT no Terminal Alvorada, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, e saiu pegando passageiros pela Avenida das Américas.

Foram embarcados sete usuários.

A Polícia Militar interceptou o ônibus articulado na estação Interlagos.

GREVE NO DOMINGO DE ELEIÇÕES

Neste domingo de eleições, como mostrou o Diário do Transporte, uma paralisação de motoristas precisou de intervenção da Polícia Federal.

O protesto envolveu as viações Redentor e Futuro

Relembre:

Greve de ônibus é encerrada no Rio de Janeiro após TRE-RJ acionar Polícia Federal

OUTRO LADO

Em nota, o BRT Rio informou ao Diário do Transporte que “alguns motoristas” paralisaram as atividades, o que resultou em irregularidades nos intervalos, inviabilizando a operação em todo o sistema.

Confira a nota, na íntegra:

O BRT Rio informa que os serviços nos seus três corredores (Transoeste, Transcarioca e Transolímpica) foram interrompidos nesta tarde, devido à paralisação das atividades de alguns motoristas. O movimento acarretou irregularidades nos intervalos, inviabilizando a operação em todo o sistema.

A manifestação dos motoristas decorre do parcelamento do 13º salário pelo BRT Rio. Devido ao colapso financeiro pelo qual o sistema vem passando desde o início da pandemia, o sindicato dos empregadores está em negociações com o Sindicato dos Rodoviários sobre a necessidade desse parcelamento, sob o risco de parar definitivamente suas atividades. Hoje (30/11/2020) foram depositados 20%. O posicionamento sobre o saldo remanescente será informado em 15 dias, em função das negociações sindicais. Uma assembleia geral extraordinária com a categoria será realizada nesta quarta-feira, dia 2, para deliberar sobre a questão.

Ressaltamos o comprometimento do BRT Rio no sentido de que, caso sobrevenha qualquer auxílio ou subsídio das esferas de governo, a quitação do 13º salário dos seus funcionários será antecipada na mesma proporção.

Apesar das dificuldades financeiras decorrentes das medidas restritivas impostas pelo combate à Covid-19, que causaram perda de receita de R$ 155 milhões de março a outubro, e também pelo conjunto de aspectos que vêm contribuindo para o desequilíbrio financeiro do sistema, tais como o não reajuste da tarifa há 22 meses, a evasão por calotes, as políticas de gratuidade sem fonte definida de custeio, a concorrência desleal do transporte clandestino, a má conservação das pistas e os furtos de equipamentos e vandalismo nas estações, o BRT Rio vem honrando o pagamento de salário de seus colaboradores, e o mesmo será feito em relação ao 13º salário.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. JOSÉ LUIZ VILLAR COEDO disse:

    Graças A Deus o CRIVELA vai embora da vida de vcs no dia 01/01/21! Tranqueira! JÁ vai tarde!

  2. antonio carlos disse:

    consorcio BRT, larga esse negocio e sai fora. isso é furada.

Deixe uma resposta