Rodoviários descartam greve de ônibus em Petrópolis (RJ)

Transporte coletivo opera normalmente. Foto: Divulgação.

Categoria entrou em acordo com empresas sobre pagamento de salários

JESSICA MARQUES

O Sindicato dos Rodoviários de Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, descartaram a realização de uma greve de ônibus na cidade.

A categoria entrou em acordo sobre o pagamento de salários com o Setranspetro (Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário de Petrópolis).

De acordo com as empresas de ônibus, ficou definido que será feito o pagamento dos salários dos rodoviários até o dia 12 de cada mês e o adiantamento de até 40% do valor até o dia 25.

“Com relação ao 13° salário, em que funcionários do setor estavam apreensivos, em razão dos municípios vizinhos, como Niterói, que anunciou a possibilidade do pagamento em até dez vezes, foi definido que as empresas de ônibus pagarão dentro do que determina a CLT. A primeira parcela será quitada até o dia 30 de novembro, enquanto a segunda estará disponível até o dia 20 de dezembro”, informou o Setranspetro, em nota.

Além disso, ficou acordado que os trabalhadores receberão cestas básicas em datas previamente acordadas. Em dezembro, a data limite estabelecida será o dia 20, enquanto em janeiro será até o dia 15. A partir de fevereiro, a data fixada será o dia 10.

Com relação ao banco de horas, será disponibilizado um funcionário para sanar qualquer dúvida dos colaboradores, também segundo o Setranspetro.

HISTÓRICO

Em 13 de novembro, o Sindicato dos Rodoviários protocolou junto ao Setranspetro e as empresas de ônibus, um ofício com denúncias e reclamações dos trabalhadores que atuam no serviço de transporte coletivo do município, questionando possíveis descumprimentos de acordos e atrasos

O pedido tinha como prazo de 10 dias para que todas as demandas como pagamentos, cesta básica, vale alimentação, demissões e banco de horas fossem devidamente analisados e solucionados.

Relembre:

Rodoviários de Petrópolis (RJ) ameaçam greve de ônibus

CRISE

Durante a reunião entre representantes dos trabalhadores e das empresas, o Setranspetro destacou que entende as necessidades da categoria e esclareceu que está unindo esforços, inclusive, buscando empréstimos para pagar o 13° salário.

O Setranspetro ainda apontou enfrentar uma grave crise econômica e financeira, comprovada por laudos técnicos do município e amplamente discutida com o Ministério Público.

“Estamos enfrentando a maior crise de todos os tempos no transporte público. É necessário uma atenção dos órgãos públicos para o setor, que realiza um serviço essencial para a sociedade e emprega centenas de pessoas. Desde o início da pandemia, estamos nos esforçando para evitar demissões em massa e atender as necessidades dos rodoviários. A reunião mostra a união das categorias e coopera com a continuidade dos serviços prestados”, afirmou o presidente do Setranspetro, Isidro Ricardo da Rocha, em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta