Campinas libera 4,5 km de sistema viário em trechos do BRT

Trecho do BRT Ouro Verde com mais 2 km de corredores liberados. Foto: Divulgação / Emdec.

Liberação ocorre nesta sexta (27) na Avenida John Boyd Dunlop para o BRT Campo Grande e na Avenida Ruy Rodriguez na região do BRT Ouro Verde

JESSICA MARQUES

A Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas), no interior paulista, libera dois trechos de corredores do BRT (Ônibus de Trânsito Rápido). Ao todo, são 4,5 quilômetros de vias liberadas.

A liberação ocorre em um trecho de 2,5 quilômetros do Corredor BRT Campo Grande, na Avenida John Boyd Dunlop (JBD), entre o viaduto férreo (Jardim Florence) e o novo terminal BRT Campo Grande (Jardim Nova Esperança).

Além disso, outros dois quilômetros foram ativados na Avenida Ruy Rodriguez, no Corredor BRT Ouro Verde, totalizando cerca de 11 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus liberadas para circulação.

Neste caso, o trecho está inserido entre a Estação BRT Capivari (na altura da Rua Afonso Coppola) e a Rua Itacuruçá, passando sob o viaduto da Rodovia dos Bandeirantes (SP-348), nas regiões do Jardim Capivari e Morumbi. A liberação inclui uma nova ponte, construída sobre o Rio Capivari.

Confira os detalhes e a operação do transporte coletivo, por trecho:

CORREDOR BRT CAMPO GRANDE

Oito linhas de ônibus circulam no trecho, mantendo a operação atual e o atendimento aos pontos existentes nas marginais, com embarque e desembarque pela faixa da direita. São elas: 123, 205, 210, 211, 212, 213, 214 e 289. Juntas, elas transportam cerca de 36 mil passageiros diariamente.

Somados aos trechos ativados anteriormente, cerca de 80% do Corredor BRT Campo Grande já está liberado para circulação. São mais de 14 quilômetros de faixas exclusivas ativadas para uso do sistema convencional de transporte, desde a região central, chegando ao Jardim Aurélia até o Jardim Nova Esperança.

A liberação contempla a abertura das novas pistas expressas dedicadas ao tráfego em geral, em ambos os sentidos, desde o viaduto férreo. O fluxo de veículos atualmente ocorria nas marginais na altura da Estação Rossin.

O trecho liberado inclui uma nova ponte sobre o Córrego do Piçarrão. Localizada na altura do hipermercado Pague Menos, a nova ponte é feita em concreto armado, possui 10 metros de largura e 40 metros de comprimento. A sustentação é feita por quatro vigas de concreto protendido.

A estrutura conta com duas faixas asfálticas de rolamento, dedicadas ao tráfego em geral, que já foram ativadas. A ponte passou a receber o tráfego de veículos da Avenida JBD, no sentido bairro.

A extensão liberada conta com seis faixas de rolamento no total, predominantemente. Além das duas faixas de concreto exclusivas para o sistema de transporte público (uma por sentido), são duas faixas por sentido utilizadas pelo tráfego em geral. Há pontos com dez faixas de rolamento no total, incluindo as marginais da avenida.

A obra resultou na requalificação urbana da região, trazendo benefícios como requalificação asfáltica, iluminação em LED no corredor, nova sinalização e paisagismo no canteiro central da avenida. Futuramente, serão ativadas as estações Rossin e Nova Esperança, que atenderão ao sistema BRT; além do novo Terminal BRT Campo Grande, que terá cinco plataformas integradas.

CORREDOR BRT OURO VERDE

Dez linhas de ônibus circulam no trecho liberado, mantendo a operação atual e o atendimento aos pontos existentes nas marginais, com embarque e desembarque pela direita. São elas: 116, 118, 121, 122, 125, 131, 133, 134, 142 e 199. Juntas, elas transportam cerca de 44 mil passageiros diariamente.

Já no trecho entre o Rio Capivari e a Rua Piracicaba, as linhas 118, 121 e 131 circulam de forma expressa pelas faixas exclusivas do BRT, para atender o novo Terminal Santa Lúcia, desde o dia 16 de novembro.

Somados aos trechos ativados anteriormente, cerca de 80% do Corredor BRT Ouro Verde, que tem 14,6 km de extensão, já está liberado para circulação. São 11,6 km de faixas exclusivas ativadas para uso do sistema convencional de transporte, nas vias João Jorge, Amoreiras, Piracicaba, Ruy Rodriguez e Camucim.

A extensão liberada conta com seis faixas de rolamento no total, predominantemente. Além das duas faixas de concreto exclusivas para o sistema de transporte público (uma por sentido), são duas faixas por sentido dedicadas ao tráfego em geral. Há pontos com dez faixas de rolamento, incluindo as marginais da avenida.

Outros benefícios resultantes da obra são a requalificação asfáltica das faixas dedicadas ao tráfego em geral, iluminação em LED no corredor, nova sinalização e paisagismo no canteiro central da avenida. Futuramente, serão ativadas as estações Capivari e Morumbi, que atenderão o sistema BRT; além do Terminal BRT Ouro Verde, que está em construção.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta