EM PRIMEIRA MÃO: STM estuda ônibus executivo por aplicativo entre Santo André e Diadema no Corredor ABD

Ônibus de aplicativo é de alto padrão

Veículos serão operados pela Metra e tarifa sugerida é de R$ 7,50. Na capital, proibição foi marcada por muitas dúvidas e ocorreu mesmo depois de pareceres favoráveis de órgãos técnicos

ADAMO BAZANI

A Coordenadoria de Transporte Coletivo da STM (Secretaria dos Transportes Metropolitanos) do Estado de São Paulo estuda a criação de um serviço de ônibus de aplicativo do tipo rodoviário de alto padrão entre Santo André e Diadema.

O órgão recebeu pedido da empresa operadora Metra, sendo publicado oficialmente nesta quarta-feira, 18 de novembro de 2020.

A linha será a E-287UBUS entre o Terminal Metropolitano Santo André Leste e o Terminal Metropolitano de Diadema pelo Corredor Metropolitano ABD, sendo assim uma alternativa para a linha 287 que é convencional.

A tarifa sugerida é de R$ 7,50 e a extensão média do trajeto é de 16 km.

A tarifa do ônibus convencional é de R$ 5,10.

Serão realizadas 19 viagens por dia na ida e 18 na volta, somente de segunda-feira a sexta-feira não operando aos sábados, domingos e feriados.

A frota operacional é de três veículos rodoviários.

O usuário poderá baixar o aplicativo UBus gratuitamente, disponível nas versões Android e iOS. Para o cadastro, é preciso colocar dados pessoais e forma de pagamento preferencial.

Para utilizar o serviço, basta fazer a solicitação para o endereço desejado e colocar o ponto de partida. O aplicativo verifica a rota, dá as opções de reserva de assento, informa horário do embarque, mostra uma previsão do desembarque e o valor da passagem.

Os ônibus são do tipo rodoviário executivo, com poltronas reclináveis, mesas que podem ser utilizadas para apoio de notebooks, tomadas USB em cada poltrona, ar-condicionado, streaming (central multimídia) e sinal de Wi-Fi.

O pagamento da passagem é feito pelo aplicativo, com a possibilidade de uso de cartões de crédito ou do Cartão BOM, que é usado no sistema metropolitano convencional. Para a leitura do validador, é gerado no celular um Código QR Code.

Simultaneamente as informações aparecem para o motorista em um tablet que fica anexado ao painel do veículo. Assim, o profissional pode acompanhar todos os dados relacionados à viagem.

Os veículos possibilitam embarques e desembarques tanto pela direita como pela esquerda e são modelo Marcopolo Paradiso 1050, com 46 lugares, Mercedes-Benz O 500-R. Não há catracas e o UBus não terá serviço de bordo.

NA CAPITAL, PROIBIÇÃO FOI MARCADA POR DÚVIDAS

Como mostrou o Diário do Transporte, o serviço que começou a operar em 23 de setembro de 2019 experimentalmente entre São Bernardo do Campo e a região da Berrini, na zona Sul da capital paulista, e lançado no dia 25, foi barrado pela gestão do prefeito Bruno Covas no dia 1º de outubro de 2019.

Na época, o então secretário de mobilidade e transportes Edson Caram, alegou que a portaria autorizando a circulação dos ônibus não tinha sido publicada no Diário Oficial e, portanto, não era válida. Caram ainda disse na ocasião que a pasta precisaria dimensionar os impactos dos ônibus executivos nos corredores da cidade.

Na ocasião, a Metra alegou que o corredor é metropolitano, que havia recebido autorização da gestão estadual e que a procuradoria da cidade de São Paulo, o departamento de transportes públicos e a SPTrans  já tinha emitido pareceres favoráveis ao serviço

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/10/04/caram-diz-que-portaria-que-daria-aval-a-onibus-por-aplicativo-da-metra-nao-foi-assinada-e-que-secretaria-vai-estudar-impacto-em-corredores/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta