Rodoviários paralisam transporte coletivo de Itanhaém (SP)

Trabalhadores e sindicalistas na garagem da empresa Litoral Sul. Foto: Divulgação / Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Santos e Região.

Greve teve início na manhã desta segunda (16) e frota está completamente paralisada

JESSICA MARQUES

Os motoristas e demais funcionários da Viação Litoral Sul, que opera o transporte coletivo urbano de Itanhaém, no litoral paulista, estão em greve desde as primeiras horas desta segunda-feira, 16 de novembro de 2020.

A informação foi divulgada pelo Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Santos e Região, em nota ao Diário do Transporte. Segundo a categoria, a paralisação está sendo realizada por conta de atrasos nos salários, na cesta-básica, no vale-refeição, no plano de saúde e nos depósitos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

“O pessoal está 100% parado, a diretoria do sindicato mantém o jurídico de plantão para eventualidades e aguarda liminar da Justiça do Trabalho sobre número mínimo de veículos em circulação”, detalhou o sindicato.

Em nota, o presidente do sindicato, Valdir de Souza Pestana, afirmou que publicou um edital na quarta-feira (11), avisando aos usuários e autoridades sobre a greve.

Além disso, o sindicato informou também que a diretoria que representa os trabalhadores esteve terça-feira (10) na cidade e está, nesta segunda-feira, “organizando a categoria, conversando com a direção da empresa e com o prefeito Marco Aurélio Gomes”.

A empresa opera há 27 anos e 11 meses no município. Segundo Pestana, o prefeito exigirá o reaproveitamento dos trabalhadores em caso de revogação do contrato e engajamento de nova empresa.

Em nota, a Prefeitura de Itanhaém informou que “entrará nas próximas horas com pedido de liminar para que empresa Litoral Sul Transporte restabeleça o serviço prestado à população, mas estranha de a empresa não ter se manifestado também com pedido de liminar para que os serviços não sejam paralisados integralmente. Da mesma forma, esclarece que está avançando para a rescisão contratual em virtude dos constantes prejuízos causados à população“.

A Litoral Sul opera com 45 veículos em 25 linhas, com 150 funcionários, sendo 110 motoristas, 32 na manutenção e oito no escritório. Segundo o sindicato, esta é a quinta greve desde 2019, sendo todas realizadas por atraso no pagamento.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. transporte90 disse:

    Está mais que na hora de a administração pública tomar sérias medidas contra a empresa concessionária, dando a ela um ultimato. Se não está satisfeita, repassa os direitos de concessão da prestação dos serviços para outra. O que não pode é penalizar os funcionários, que é exatamente quem faz a parte principal do contrato, que é transportar os usuários.

    1. Geny disse:

      Ok, mas penalizar os usuários que precisam de condução pode?

  2. Aristides Domingues Ribeiro disse:

    A população está cansada de manobras desta empresa deixando o povo na mão a hora que precisa se deslocar, esperar ônibus em Itanhaém é cruél cadê a mobilidade do município com prioridade o transporte é obrigação do governantes, infelizmente relaxou de vez vamos ver o prefeito eleito se vai deixar continuar essa palhaçada.

  3. DONIZETI APARECIDO DA SILVA disse:

    O problema de Itanhaém vai além do transporte, a cidade está abandonada a muito tempo, e quando temos a oportunidade de mudar, o povo vota no vice da atual administração, vai entender!

  4. Geny disse:

    Tem mais é que rescindir o contrato mesmo, aí a empresa fecha e quero ver o que vai adiantar fazer greve

  5. Carmela Parente disse:

    É uma falta de respeito total com a população. Um problema que se arrasta há muito tempo. Não entendi, até agora, por que a licitação marcada para o dia 10.11 foi suspensa. Não entendo , como não rescindiram o contrato dessa empresa, que há muito não cumpre sua obrigação.
    Não há quem nos ajude. Você liga pra prefeitura, ninguém tem uma resposta para o que estamos enfrentando. A última vez que liguei, disseram pra ligar na Ouvidoria. Liguei lá foi quando disseram que tínhamos que aguardar a tal licitação. Dai eu disse que procuraria o MP e faria uma denuncia, a resposta foi a seguinte: se a senhora fizer, estará nos ajudando. Então fica um jogo de empurra, a população isolada, precisando se deslocar pra médico, exames, e a opção são as Vans sempre lotadas, em plena pandemia.

  6. Maria Ap.da S.Justamante disse:

    Itanhém está abandonada em tudo,não existe saúde,segurança,transporte público é uma vergonha,ai vem as eleições e o que o povo faz,coloca o vice de Marco Aurelio para continuar o que ele estava fazendo nada ,a cidade vai continuar abandonada.

Deixe uma resposta