Greve de ônibus de Teresina (PI) entra no oitavo dia após julgamento de recurso ser adiado

Ônibus operam com frota reduzida na cidade. Foto: Divulgação / Strans.

Sindicato das empresas recorreu de decisão do TRT que obrigou pagamento de ticket alimentação e plano de saúde aos rodoviários

JESSICA MARQUES

A greve de ônibus de Teresina, no Piauí, entrou no oitavo dia nesta quarta-feira, 04 de novembro de 2020. A paralisação continua após o julgamento de um recurso do Setut (Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina) ser adiado na Justiça.

O TRT (Tribunal Regional do Trabalho) da 22ª Região havia determinado que as empresas deveriam efetuar o pagamento do ticket alimentação e plano de saúde aos motoristas e cobradores de ônibus. Diante disso, o Setut entrou com recurso contra a decisão em 19 de outubro.

A reunião que julgaria o recurso do sindicato estava marcada para a manhã desta quarta (04), mas foi adiada. Assim, a greve continua e os ônibus operam com frota reduzida.

Conforme publicado pela mídia local, o juiz Carlos Wagner Araújo Nery afirmou que o pedido de suspensão da sessão foi feito pelos advogados dos sindicatos. Participaram da reunião, além de representantes do Setut, integrantes do Sintetro (Sindicato dos Trabalhadores de Empresas de Transportes Rodoviários).

“O Setut alega que o STF (Supremo Tribunal Federal) já havia suspendido o andamento do Dissídio Coletivo e o Sintetro alega que não se manifestou a tempo no agravo regimental. Então o processo voltou ao gabinete para eu analisar essas duas questões, antes de ir para a pauta novamente”, disse.

POSICIONAMENTOS OFICIAIS

Em nota, o Setut informou que a quantidade de ônibus circulando na manhã desta quarta-feira (04) foi inferior à de ontem, com apenas 47 veículos em operação.

“O Setut informa que nesta quarta-feira (04) houve baixa saída de ônibus, com quantidade inferior à de ontem. Dos 168 veículos, apenas 47 saíram das garagens. Portanto, a greve continua”, detalhou o sindicato.

SUBSÍDIO

Por sua vez, a Strans (Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito) informou à mídia local que está trabalhando junto com a Procuradoria Geral do Município na elaboração do documento que formalizará o subsídio ofertado pela Prefeitura para motoristas e cobradores do transporte público.

A Superintendência de Trânsito informou ainda que será aberta uma auditoria pela Secretaria Municipal de Finanças para contabilizar quantos trabalhadores estão regularizados e ativos nas empresas, para que seja definido o valor a ser disponibilizado para pagamento dos tickets e planos de saúde referentes aos meses de outubro, novembro, dezembro e janeiro.

Ainda de acordo com a Strans, o Setut deve apresentar a lista de trabalhadores regularizados que têm direito ao ticket de alimentação e o Sintetro a lista de trabalhadores que têm direito ao plano de saúde.

GREVE

A greve de ônibus em Teresina teve início em 28 de outubro de 2020. A paralisação foi realizada porque, segundo os rodoviários, as empresas não pagaram o ticket alimentação e o plano de saúde aos funcionários.

Relembre:

Sindicato dos motoristas do Piauí terá de pagar multa após descumprir liminar em greve do transporte em Teresina

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta