ANTT autoriza início de cobrança em duas praças de pedágio no trecho de Minas das BRs-364/365

Foto: Divulgação / Ecovias do Cerrado

Concessionária Ecovias do Cerrado assumiu 437 km das rodovias federais que ligam Jataí (GO) e Uberlândia (MG) em 20 de janeiro de 2020 

ALEXANDRE PELEGI

A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT autorizou o início da cobrança de pedágio nas praças P1 e P2 do trecho concedido da BR-364/365/GO/MG, explorado pela Concessionária Ecovias do Cerrado S/A.

O trecho compreende 437 km de rodovias federais que ligam Jataí (GO) a Uberlândia (MG).

No total, o trecho concedido tem sete praças de pedágio, sendo quatro praças ao longo da BR-365, no trecho mineiro, localizadas nas cidades de Uberlândia (km 645+600), Monte Alegre de Minas (km 704+350), Ituiutaba (km 765+980) e Santa Vitória (km 835+950).

No estado de Goiás estão sendo construídas três praças de pedágio, localizadas em Paranaiguara (km 32+650), Cachoeira Alta (km 93+120) e Jataí (km 156+550).

Pela Deliberação nº 453, publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 04 de novembro de 2020, a ANTT autorizou o início de cobrança de pedágio nas Praças P1 e P2, localizadas nas cidades mineiras de Uberlândia (km 645+600) e Monte Alegre de Minas (km 704+350)

Na publicação, a ANTT informa que o reajuste indicou o percentual positivo de 15,33%, correspondente à variação do Índice Nacional de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA) no período, com vista à recomposição tarifária. Em consequência, a Tarifa Básica de Pedágio foi reajustada, antes do arredondamento, de R$ 4,21431 para R$ 4,86019.

Desta forma, a Tarifa Básica de Pedágio para a categoria de veículo 1 passa, com o arredondamento, para R$ 4,90 a ser cobrada nas praças de pedágio P1, em Uberlândia e P2, em Monte Alegre de Minas.

A medida passa a valer a partir do da 13 de novembro de 2020, dez dias após a publicação;

TRECHO CONCEDIDO

A operação pela Ecovias do Cerrado teve início no dia 20 de janeiro de 2020. O trecho total está divido nos estados de Goiás, com 192,7 quilômetros da BR-364, e 244,3 quilômetros da BR-365 em Minas Gerais.

Pelo contrato de concessão, com 30 anos de prazo, caberá à concessionária investir R$ 4,59 bilhões na realização de obras de modernização, recuperação, conservação, manutenção, operação da rodovia e serviços de atendimento aos usuários.

O trecho integra uma das mais importantes rotas para o escoamento de grãos do Centro-Oeste até o porto de Santos, além de ser rota importante para o abastecimento da região sul de Goiás e Minas Gerais, principalmente de produtos da indústria, materiais de construção e alimentos.

São 11 municípios, sendo cinco em Goiás (Aparecida do Rio Doce, Cachoeira Alta, Jataí, Paranaiguara e São Simão) e seis em Minas Gerais (Santa Vitória, Gurinhatã, Ituiutaba, Canápolis, Monte Alegre de Minas e Uberlândia).



Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Aurimario de Medeiros disse:

    Você sabem quê esta prática e crime inconstitucional aprovado pelos representante do Estado constituído pelo povo esta conduta vai contra o princípio constitucional os representantes quê aprovou esta negociação sua conduta considerada crime má fé incluindo outro crime contra economia popular

Deixe uma resposta