Metrô Rio e Secretaria de Transportes são notificados por crescimento na lotação dos trens

Agetransp pede reavaliação de medidas empregadas para que a taxa não ultrapasse os 60%

WILLIAN MOREIRA

O Conselho Diretor da Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro) notificou a Secretaria de Transportes do Rio de Janeiro e a Concessionária MetrôRio para que seja reavaliada a taxa de ocupação máxima no transporte público.

Segundo o órgão fiscalizatório, desde o início de outubro de 2020, a ocupação total de passageiros principalmente no horário de pico está bem perto de ultrapassar os 60% estipulados.

A Agetransp classifica isto como algo grave, já que a capacidade operacional não permite uma diminuição do intervalo para menos de 4 minutos e 30 segundos, como ampliação da frota de trens.

O estudo levantado mostra um crescimento de 4,4% na demanda entre os dias 1 e 14 de outubro, evidenciando um aumento constante e gradual.

Desta forma cabe a Secretaria e ao MetrôRio não só avaliar a taxa máxima atual, mas adotar medidas alternativas para o Metrô, evitando assim uma aglomeração maior e consequentemente a transmissão e contágio dos passageiros pelo vírus da Covid-19.

OUTRO LADO

Em nota ao Diário do Transporte, o MetrôRio informou que está abaixo do limite estipulado pelo governo do Estado para ocupação.

“Na quarta-feira, dia 21, a queda registrada de passageiros foi de 58%. Além disso, a empresa trabalha com a oferta máxima possível de trens durante os horários de pico. Documento da Agetransp, datado do dia 14 de outubro, diz inclusive que o MetrôRio não atingiu a capacidade de 60% de ocupação”, diz trecho da nota.

“A empresa vive uma profunda crise financeira ocasionada pela pandemia, que resultou numa perda de passageiros sem precedentes na história da empresa e aguarda as definições do governo estadual sobre as medidas de auxílio emergencial ao transporte coletivo”, informa também o MetrôRio.

Confira abaixo a nota da Secretaria de Estado de Transportes sobre o assunto:

A Secretaria de Estado de Transportes e a Agência Reguladora (Agetransp) estão constantemente acompanhando e monitorando a taxa de ocupação dos transportes intermunicipais de passageiros. Até o momento, nenhuma concessionária descumpriu o decreto que determina as medidas relacionadas à ocupação.

Diante da reabertura de diversos setores da economia do Estado, a Setrans reavaliará junto às autoridades de saúde a necessidade de eventuais adaptações operacionais.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta