Greve da Auto Viação Marechal, no DF, chega ao fim

Segundo a empresa, o depósito do adiantamento salarial foi efetuado. Foto: José Antônio Gama/Ônibus Brasil.

Segundo a empresa, os ônibus estão retomando a operação na tarde desta quarta (21)

WILLIAN MOREIRA

A greve dos funcionários da Auto Viação Marechal, no Distrito Federal, chegou ao fim na tarde desta quarta-feira, 21 de outubro de 2020, após a empresa realizar o depósito do adiantamento salarial na conta dos trabalhadores.

Durante a madrugada, as atividades foram interrompidas com os colaboradores reivindicando o pagamento de salários e benefícios em atraso.

A empresa, por sua vez, alega que foi afetada pela queda na demanda de passageiros devido a pandemia do coronavírus e aguardava um repasse financeiro do Governo do Distrito Federal para efetuar os pagamentos.

No tempo em que a paralisação se manteve, 489 ônibus ficaram parados sem circular.

Relembre: Greve de ônibus da Marechal do DF afeta passageiros nesta quarta (21)

NOTA DA EMPRESA

Em nota ao Diário do Transporte, a Auto Viação Marechal informou que o sindicato foi “insensível aos tempos difíceis de pandemia” ao iniciar a greve.

Confira a nota, na íntegra:

“Mesmo com todos os esforços da Auto Viação Marechal no sentido de quitar o adiantamento salarial e a cesta básica dos seus funcionários, o Sindicato dos Rodoviários do Distrito Federal, mais uma vez, se mostrou insensível a esses tempos difíceis de pandemia e resolveu paralisar as operações desde o início da manhã desta quarta-feira (21).

A empresa Marechal vem a público explicar que aguardava um repasse do governo do Distrito Federal, para terça-feira (20), mas houve um atraso por parte do governo local. O recurso deve sair somente nesta quarta-feira (21), quando as operações já encontram-se paralisadas. A empresa aguarda esse recurso para quitar o adiantamento dos salários.

É importante lembrar que a crise causada pelo novo coronavírus reduziu em cerca de 60% o número de passageiros transportados, mas a empresa continuou operando com 100% da frota desde o início da pandemia, não reduziu salários ou suspendeu contratos, mantendo todos os postos de trabalho sem nenhuma demissão. Isso fez com que os custos permanecessem os mesmos, porém a receita da empresa passou a ser apenas 40% do que era antes da pandemia, levando à insustentabilidade da operação. A queda na arrecadação criou uma situação muito difícil para o sistema de transporte público.

Mesmo diante de toda dificuldade, a empresa tem se esforçado para não prejudicar seu maior patrimônio que é o corpo de funcionários. No último dia 6, os salários e horas extras foram pagos após a empresa recorrer a um empréstimo. Desde a semana passada a Marechal busca um novo empréstimo, mas o banco ainda não finalizou o processo.

Com relação a nova tarifa técnica, divulgada na semana passada, já foram encontradas algumas inconsistências na forma de cálculo, que estão sendo tratadas pela empresa.

A Marechal segue com seu compromisso de prestar um serviço de qualidade a população do Distrito Federal e está buscando, de todas as formas, os recursos necessários para garantir a sustentabilidade de sua operação.”

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta