Doria lança pacote de retomada com 19 projetos de concessões, incluindo transportes

Publicado em: 16 de outubro de 2020

Doria em entrevista coletiva

Linhas de trens, metrô, rodovias , portos e aeroportos estão no pacote. Governo estima R$ 36 bilhões. Parte das concessões anunciadas não é nova e já tinha sido apresentada isoladamente 

ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA

O governador João Doria anunciou em entrevista coletiva no início da tarde desta sexta-feira, 16 de outubro de 2020, um plano de retomada econômica para o biênio 2021/2022 que contempla um pacote de 19 concessões, entre as quais das áreas de infraestrutura e de transportes.

O pacote deve trazer um retorno, de acordo com Doria, de R$ 36 bilhões em investimentos.

Entre as concessões previstas estão linhas de trens, metrô, rodovias , portos e aeroportos estão no pacote.

Como exemplo, o secretário da Fazenda, Henrique Meirelles, citou o Trem Intercidades (São Paulo/região de Campinas ), com US$ 1,4 bilhão de investimentos e as linhas 8 e 9 da CPTM, com previsão de US$ 500 milhões.

Segundo a apresentação, o Trem Intercidades terá 100 km de extensão e uma demanda diária de 565 mil passageiros por dia (o número deve incluir a linha 7-Rubi).

Somente as concessões de transportes e mobilidade vão responder por 51% do pacote.

Grande parte destas concessões incluídas no pacote não é novidade e já estava nos planos do Governo, como as linhas da CPTM e o e Trem Intercidades, além das rodovias e aeroportos.

Dória disse que entres os potenciais investidores estão chineses, franceses, espanhóis e japoneses, em especial no projeto de trem para Campinas.

Henrique Meirelles também citou concessões de rodovias litorâneas (US$ 600 milhões), renovações de concessões de rodovias (Triângulo do Sol, Renovias, ViaOeste), concessão de 22 aeroportos regionais (US$ 80 milhões), Zoológico e Jardim Botânico (US$ 70 milhões), Complexo do Ibirapuera (US$ 200 milhões), entre outras.

O secretário de relações internacionais, Julio Serson, disse que na próxima segunda-feira, 19 de outubro, uma empresa chinesa vai ser recebida pelo governo do Estado de São Paulo para tomar conhecimento das concessões de mobilidade.

Serson, no entanto, não revelou na coletiva qual empresa.

Na entrevista coletiva, Doria disse que as datas de lançamentos dos editais serão anunciadas gradativamente, mas que devem ocorrer ao longo dos próximos 24 meses.

“Serão beneficiados 14 polos de desenvolvimento econômico, entre eles tecnologia, comércio, serviços, saúde, indústria, infraestrutura, turismo e agricultura. É o mais audacioso plano de desenvolvimento econômico já realizado em São Paulo”, disse Doria, que ainda acrescentou que o plano de concessões não vai depender de aprovação da Alesp – Assembleia Legislativa de São Paulo.

Será realizado um road show com apresentações a investidores dos projetos. A primeira apresentação será para a empresa chinesa na segunda-feira e haverá também visitas no exterior.

No início da entrevista coletiva, João Doria citou mais uma vez o que chamou de “reforma administrativa do estado”, que se trata do PL – Projeto de Lei 529, sendo sancionado e se tornando lei nesta sexta-feira (16).

“A previsão é de R$ 36 bilhões em investimentos nos dois próximos anos e criação de 2 milhões de novos empregos em quatro anos. Na mesma semana em que aprovamos a modernização administrativa do Estado na Assembleia Legislativa, com a extinção de cinco estatais e economia de R$ 7 bilhões em recursos públicos, lançamos agora o plano de recuperação econômica e atração de capital privado nacional e multinacional para São Paulo”, declarou o Governador

Entre as medidas está a extinção de empresas públicas, como a EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, que gerencia ônibus intermunicipais metropolitanos, o corredor ABD de ônibus e trólebus operado pela Metra, o VLT – Veículo Leve sobre Trilhos entre Santos e São Vicente operado pela BR Mobilidade, a ponte ORCA de vans e micro-ônibus e os ônibus de fretamento nas regiões metropolitanas.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/10/16/doria-sanciona-lei-que-acaba-com-emtu-e-oficializa-artesp-no-gerenciamento-dos-transportes-metropolitanos/

Veja as apresentações na coletiva:

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Willian Moreira, em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. JOSÉ LUIZ VILLAR COEDO disse:

    Tem que VENDER LOGO O METRÔ TODO E A CPTM TODA! URGENTEMENTE! SÓ DÃO PROBLEMAS! E NÃO ACABAR COM A EMTU…!

Deixe uma resposta