Cittamobi lança projeto de carteira digital no BRT de Sorocaba

Publicado em: 29 de setembro de 2020

Tecnologia permite o pagamento da tarifa do sistema com smartphone, sem utilização de cartões ou dinheiro

Tecnologia ‘permite o pagamento da tarifa do sistema com smartphone, sem utilização de cartões ou dinheiro

ALEXANDRE PELEGI

Não é de hoje que empresas de tecnologia anunciam novidades para a mobilidade urbana, como a transformação do transporte em um mercado de prestação de serviço multimodal.

Ou, em outros termos, um cenário em que o usuário pode utilizar qualquer meio de transporte sem a necessidade de um bilhete físico ou dinheiro em espécie.

Algumas experiências estão sendo praticadas em cidades brasileiras, e agora a Cittamobi anuncia sua solução. Em todas elas, o uso do celular surge como único meio físico necessário para o cidadão utilizar o transporte coletivo.

A solução ‘ABT Cittamobi’ é descrita pela empresa como uma solução tecnológica que elimina o dinheiro a bordo e reduz custos operacionais, ao mesmo tempo que melhora a experiência do usuário do transporte urbano, seja ele habitual ou eventual.

Trata-se da criação de uma “carteira digital”, onde o celular reúne todos os meios necessários para que o usuário possa pagar sua passagem, além de controlar e adquirir créditos.

A tecnologia, apesar de avançada, ainda depende do poder concedente para permitir uma integração tarifária real entre diferentes modos de transporte.

Segundo a Cittamobi, o produto resulta de uma combinação de vantagens que irá gerar novas receitas, novas demandas e aumentar os resultados.

Paulo Fraga, CEO da Cittamobi, informou ao Diário do Transporte que o projeto começará em fase de piloto nesta quarta-feira, 30 de setembro de 2020, para uma quantidade controlada de pessoas. E a partir de 15 de outubro, poderá ser utilizado de forma gradativa pelos usuários do BRT Sorocaba, que poderão pagar o ingresso no sistema com seus smartphones nos terminais, estações e ônibus do corredor exclusivo.

A solução é mais uma à disposição do usuário do transporte, num país em que grande parte da população não possui acesso a cartões de crédito ou débito. E pode dispensar, se for de seu agrado, o uso de cartões de transporte.

Segundo a Cittamobi, o pagamento por cartões de crédito, débito, ou ainda o sistema atual de pagamento eletrônico off-line induz em custos adicionais, uma vez que traz uma cadeia de intermediários ao sistema de pagamento de tarifas. São empresas emissoras de cartões, bandeiras de cartões e empresas adquirentes, além de rede de vendas e distribuição de crédito.

Essa cadeia onera o processo e distancia as empresas operadoras de ônibus da sua base de clientes”, afirma a Cittamobi em comunicado encaminhado ao Diário.

O uso do smartphone como uma carteira digital permite ao usuário usar seu dinheiro de forma segura e com facilidade, tanto para o transporte público, quanto para outras transações comerciais. E em todo o processo de pagamento do serviço de ônibus, o único intermediário é a própria empresa operadora; no caso do projeto atual, o Consórcio BRT de Sorocaba.

Paulo Fraga afirma que a Cittamobi uniu a capacidade de digitalização do dinheiro, trazida pela Carteira Digital, ao conceito de ABT, “levando para a nuvem todas as regras de tarifação necessárias para que um sistema de transporte possa ser operado e pago com segurança.”

O ABT, sigla em inglês de Account Based Ticketing, ou Bilhetagem Baseada em Contas, significa que cada usuário do sistema possui sua própria conta, que pode ser acessada por meio de diferentes canais, como celulares, QRCodes e cartões.

No caso do lançamento da Cittamobi, esclarece Fraga, “é possível processar o pagamento através do smartphone do cliente e destravar a catraca do veículo, de forma totalmente independente dos sistemas convencionais de pagamento eletrônico. O valor da tarifa sai da conta do usuário e vai direto para a conta da empresa operadora”.

Por ser 100% digital, a solução ABT Cittamobi gera uma importante redução do custo de manuseio do dinheiro, bem como de soluções de pagamento.

Além disso, regras de tarifação podem ser dinâmicas e ajustadas pela empresa operadora, permitindo alteração de forma rápida e customização por cliente, por linha, por dia ou por horário.

VANTAGENS E FACILIDADES

Os usuários saem ganhando na medida em que a compra e utilização da passagem é 100% digital e em tempo real, sem precisar de espera para validação de créditos.

Isso significa que o cidadão pode comprar créditos para gastar em passagens de transporte, além de usar o próprio aparelho como ferramenta de validação, graças a um QR Code estampado na tela.

Com valor suficiente disponível em sua “carteira digital” ele entra no ônibus, abre o app Cittamobi em seu smartphone, faz a leitura de um QR Code disponível no veículo, autoriza a compra e a catraca é liberada.

Para usuários não frequentes o acesso também é possível. Eles poderão pagar as tarifas sem a utilização de dinheiro ou compra de cartões de transporte.

NA NUVEM

O processamento da transação ocorre na nuvem, o que resolve uma série de problemas enfrentados pelos sistemas de transporte coletivo. Sistemas de bilhetagem com base em dinheiro ou papel geram altos custos operacionais, pois requerem toda uma operação para aceitar, gerenciar, distribuir, vender créditos e administrar esses valores.

Além disso, o sistema que a Cittamobi promete colocar em operação garante uma série de operações como cadastramento e consulta às regras tarifárias (integração, bilhete único, estudante, descontos, isenções, etc) e processamento dos dados.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta