Câmara de Bagé aprova idade média da frota de veículos do transporte coletivo em oito anos

Publicado em: 24 de setembro de 2020

Ônibus da empresa Stadtbus, que opera no município. Foto: Guilherme Loreto / Ônibus Brasil

Vereadores definem pagamento de auxílio emergencial a profissionais do transporte escolar que possuam até 3 veículos

ALEXANDRE PELEGI

A Câmara de Vereadores de Bagé, cidade do Rio Grande do Sul com mais de 120 mil habitantes, aprovou nessa quarta-feira, 23 de setembro de 2020, dois projetos de lei relativos ao setor de transporte no município.

O primeiro PL é uma inclusão em Lei municipal já vigente, número 4.522, de 2007, que dispõe sobre a organização dos serviços de transporte público de passageiros na cidade.

O Projeto aprovado pelos vereadores insere na Lei a idade média da frota de 8 anos como requisito básico de operação, e fixa em 12 anos a data limite de operação por veículo.

Na justificativa do PL, o vereador Graciano Aristimunha Pereira, líder da Bancada do Democratas (DEM), alega que o que o levou a apresentar a proposta foram “os altos custos das carrocerias e chassis dos veículos do transporte coletivo de Bagé e o impacto gerado no aumento do elevado dispêndio financeiro para execução do serviço, que incidem diretamente no preço da tarifa”.

Já o PL nº 097/2020, também aproado pela Câmara, altera a Lei municipal nº 6.224, de julho deste ano, que autoriza o município de Bagé a subsidiar os profissionais credenciados do transporte escolar, por três meses, pelos impactos ocasionados pela pandemia do covid-19.

O Projeto aprovado ontem expande os benefícios para motoristas do transporte escolar até o limite máximo de três veículos utilizados para tal finalidade.

A Lei Municipal define um pagamento de R$ 700,00 em 03 parcelas de igual valor.



Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta