Gestão Atila Jacomussi diz que lamenta decisão que permite Suzantur com 71% da frota e vai recorrer

Publicado em: 8 de setembro de 2020

Empesa alega queda de demanda

Prefeitura determinou 100% dos veículos em operação, mas desembargador entendeu que, como a demanda de passageiros está menor, poderia haver desequilíbrio econômico do sistema

ADAMO BAZANI

A prefeitura de Mauá, na Grande São Paulo, informou na tarde desta terça-feira, 08 de setembro de 2020, que vai recorrer da decisão que permitiu que a concessionária do sistema municipal, Suzantur, coloque um mínimo de 71% da frota de ônibus em circulação em vez de 100% como tinha determinado o prefeito Atila Jacomussi na última semana.

Em nota enviada como resposta ao questionamento do Diário do Transporte, a prefeitura diz lamentar a decisão e alegou que quanto mais ônibus estiverem em operação, menor tende a ser a lotação nos coletivos e, consequentemente, o risco de contágio pela Covid-19.

A Prefeitura lamenta a decisão e vai recorrer, entendendo que 100% da frota na rua é a melhor forma de evitar aglomerações, tanto nos pontos de ônibus quanto dentro dos ônibus, pois ainda estamos em meio a uma pandemia. – diz a nota da gestão municipal.

Como mostrou o Diário do Transporte na manhã desta terça-feira, 08, o desembargador Evaristo dos Santos, do Tribunal de Justiça de São Paulo, atendeu recurso de agravo de instrumento da empresa Suzantur de Mauá, no ABC Paulista, e tornou sem efeito determinação do prefeito Atila Jacomussi para que fossem colocados 100% da frota de ônibus que circulavam nas linhas municipais, semelhante ao patamar de antes da pandemia de Covid-19.

O magistrado determinou, no lugar, uma frota mínima de 71%.

Evaristo dos Santos acatou argumentação da empresa Suzantur de que a demanda está bem abaixo de antes da pandemia, em torno de 50%, e que o nível de frota de 71% seria suficiente para atender os passageiros com menor risco de contágio.

O magistrado ainda apontou que o desequilíbrio econômico da demanda sendo muito inferior à frota pode causar até mesmo demissões de trabalhadores dos transportes.

A decisão na íntegra você confere neste link:

https://diariodotransporte.com.br/2020/09/08/justica-atende-suzantur-de-maua-e-frota-de-onibus-podera-ser-de-71-nas-ruas/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta