Feriado em 7 de Setembro terá 20 mil PMs em cidades turísticas e não haverá desfile militar no Estado de São Paulo

Publicado em: 4 de setembro de 2020

Empresas de ônibus de fretamento devem consultar cidades antes de iniciar viagens. FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA

Preocupação é com aglomerações em especial nas praias. Em algumas cidades, ônibus fretados estarão proibidos

ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA

O governador de São Paulo, João Doria, disse em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, 04 de setembro de 2020, que o Estado disponibilizou para o Feriado de Independência em torno de 20 mil policiais militares para ações de apoio e fiscalização nas cidades turísticas.

O objetivo é evitar aglomerações, em especial nas praias e pontos de atratividade turística do interior, como as que ocorreram no último final de semana.

A preocupação é que estas aglomerações, segundo Doria, possam propiciar um avanço da transmissão de Covid-19.

Doria classificou a ação como “Operação Independência”, que começou nesta sexta-feira, 04, e vai até terça-feira, 08.

A operação vai contar com 7200 viaturas, 11 helicópteros e 32 drones.

Serão usados bafômetros também.

BARREIRAS E ÔNIBUS FRETADOS:

Algumas cidades optaram por fazer barreiras sanitárias, como no litoral paulista, conforme mostrou o Diário do Transporte nesta quinta-feira (03).

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/09/03/litoral-paulista-tera-fiscalizacao-de-medidas-sanitarias-no-feriado/

Várias cidades, tanto no Litoral como no Interior, vão impedir a entrada dos ônibus de fretamento para evitar a presença de grupos maiores de turistas.

Já os ônibus rodoviários, metropolitanos, urbanos e suburbanos estarão liberados, mas em alguns locais, podem ser parados em barreiras sanitárias.

As empresas de ônibus fretados deverão consultar cada cidade antes de programar a viagem.

Haverá também fiscalizações nas rodovias e praças de pedágio.

DESFILES DE 7 DE SETEMBRO:

Doria também anunciou que os tradicionais desfiles militares da Independência (7 de Setembro) não vão ocorrer.

A suspensão foi um acordo entre as forças de segurança do Estado e dos municípios com o Comando Militar do Leste das Forças Armadas Brasileiras.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaborou Willian Moreira

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. fabiano ferreira disse:

    Esta é a falta de patriotismo que falta , principalmente deste governador e prefeito que não tem patriotismo nenhum tenho nojo destas pessoas fracas covardes e muito mal intencionadas

Deixe uma resposta