Estado do Rio de Janeiro prorroga “quarentena” até 20 de setembro e ônibus rodoviários podem ter ocupação total de bancos

Publicado em: 4 de setembro de 2020

Transporte de pessoas em pé é proibido

Além disso, shoppings e centros comerciais passam a poder funcionar com 2/3 de sua capacidade total, não apenas com 50%

ADAMO BAZANI

O governo do Estado do Rio de Janeiro prorrogou até o dia 20 de setembro algumas medidas restritivas de prevenção e enfrentamento à propagação da Covid-19.

Entretanto haverá novas regras previstas em um decreto em edição extra do Diário Oficial dessa sexta-feira, 04 de setembro de 2020.

Além disso, em outro decreto também na edição extra, altera a operação dos ônibus do tipo rodoviário (uma porta) que circulam entre a Região Metropolitana e o interior do estado.

A partir de agora, a ocupação desses veículos fica limitada ao número de assentos disponíveis (e não mais 60%), permanecendo proibido o transporte de passageiros em pé.

Sobre as demais medidas de restrição, o Governo do Estado muda o funcionamento de shoppings e centros comerciais, que passam a poder funcionar com 2/3 de sua capacidade total e não mais apenas com 50%.

A realização de eventos com a presença de público, como shows, além da permanência nas praias e lagoas, permanece suspensa.

As aulas presenciais nas redes pública e privada de ensino, inclusive nas unidades de ensino superior, continuam suspensas até o dia 13 de setembro, de acordo com o novo decreto.

A forma como deve ocorrer a volta às aulas ainda será determinada pelas secretarias de Educação e de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Segundo nota do governo do Rio de Janeiro, segue obrigatório o uso de máscaras de proteção respiratória em espaços públicos, transportes públicos, estabelecimentos comerciais e repartições públicas estaduais.

Também foi mantida a recomendação às prefeituras fluminenses de reabertura gradual de setores do comércio e da indústria, de acordo com as especificidades de cada cidade, em horários específicos para evitar aglomerações. Os municípios têm autonomia para manter suas determinações e regras.

BANDEIRA AMARELA:

Ainda na nota, o Governo do Estado informou que pelo painel de indicadores sobre a pandemia de novo coronavírus no estado, divulgado pela Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, entre as nove regiões pelas quais o estado é dividido, sete estão classificadas como bandeira amarela, indicativo de risco menor para a doença. São elas: Metropolitanas I e II, Médio-Paraíba, Centro-Sul, Baixada Litorânea, Norte e Serrana. Juntas, elas abrangem 96% da população.

O quadro anterior era de 92% da população. O aumento de 4% ocorreu em decorrência da evolução das regiões Médio Paraíba e Centro-Sul para a bandeira amarela. Antes, as duas regiões estavam classificadas como risco moderado, mas apresentaram diminuição significativa em óbitos e, no caso da região Médio Paraíba, também de casos.

Em contrapartida, as regiões Noroeste e Baía da Ilha Grande voltaram a apresentar risco moderado. No entanto, as duas regiões juntas representam menos de 4% da população do estado.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta