Prefeito de Los Angeles (EUA) apoia proposta de tarifa zero para o transporte público

Publicado em: 31 de agosto de 2020

Seria a primeira grande cidade do mundo a ter um sistema de ônibus e metrô gratuito

ALEXANDRE PELEGI

O Conselho da Los Angeles Metro (LA Metro), um dos maiores sistemas de transporte dos Estados Unidos, quer reduzir a zero todas as tarifas de ônibus e trens já no próximo ano.

Para estudar e definir como se daria a implantação de um programa de tarifa zero no transporte público da cidade da Califórnia, a segunda cidade mais populosa dos Estados Unidos, uma força-tarefa será convocada nesta terça-feira, 1º de setembro de 2020, com o objetivo de desenvolver uma proposta até o final do ano.

O prefeito Eric Garcetti aprova o projeto e tuitou na quinta-feira, 27, que estaria apoiando o plano:

“Eu apoio o transporte público gratuito em Los Angeles e, em minha função como presidente do Metro Board, estou trabalhando com o CEO e a equipe [do Metro Los Angeles] para concretizar essa visão em 2021”, escreveu o prefeito. “Este é um passo importante em direção a um futuro mais justo e sustentável.”

Em seu Blog oficial, o LA Metro, que administra o setor de metrôs, trens e ônibus expressos, respondeu a comentários que passaram a questionar se a ideia tem como base o aumento nos impostos sobre vendas para financiar isso (os impostos locais sobre vendas são uma importante fonte de receita para o Metro). “A resposta: NÃO. Não temos intenção ou planos de solicitar um imposto adicional sobre vendas. Em vez disso, vamos estudar se o transporte sem tarifa poderia ser pago com subsídios do governo estadual ou federal, receitas existentes (como publicidade) e outras fontes”, respondeu a companhia.

A proposta de transporte gratuito visa tornar o transporte essencial mais acessível para os mais vulneráveis financeiramente. Segundo os defensores da ideia, mais pessoas optando por usar o transporte público traz benefícios ambientais que protegem o planeta e promovem a saúde respiratória.

Seria um experimento sem precedentes. Nenhuma grande cidade do mundo tornou o transporte público totalmente gratuito para todos os passageiros.

O CEO do Metro, Phil Washington, afirmou em entrevista que a Companhia tem a obrigação moral de buscar um sistema gratuito e “ajudar nossa região a se recuperar de uma pandemia única na vida e dos efeitos devastadores da falta de acessibilidade na região”.

O transporte gratuito ajudará trabalhadores essenciais, mães e pais, estudantes, idosos e passageiros com deficiência. Vejo isso como algo que pode mudar a trajetória de vida de milhões de pessoas e famílias em L.A. County, o condado mais populoso da América”, concluiu.

Washington pensa em oferecer transporte gratuito como serviço público como um potencial impulsionador do desenvolvimento econômico.

A renda familiar média dos atuais usuários do sistema de transporte de Los Angeles é baixa – US$ 17.975 para passageiros de ônibus, US$ 27.723 para passageiros de trem. Disponibilizar o transporte gratuitamente pode significar que essas pessoas passarão a ter mais fundos disponíveis para outras despesas.

As autoridades de transporte até sugeriram que isso poderia ajudar os indivíduos atualmente sem moradia na região a ter uma maneira de conseguir entrevistas de emprego ou turnos de trabalho que poderiam levá-los a situações de habitação mais sustentáveis.

No momento, o LA Metro afirma que as tarifas cobrem apenas 13% do custo operacional do sistema, porcentagem que vem caindo há anos.

Em 2019, a agência registrou US$ 1,9 bilhão em despesas, mas vendeu apenas entre US$ 250 e US$ 300 milhões em tarifas.

PORTO ALEGRE TEM PROPOSTA DE TARIFA ZERO

Para Rodrigo Tortoriello, presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes de Mobilidade Urbana, e atualmente Secretário Municipal Extraordinário de Mobilidade Urbana em Porto Alegre, a notícia é para ser comemorada. “Los Angeles sempre foi conhecida pelo emaranhado de viadutos e infraestruturas dedicadas ao transporte individual, agora o Prefeito Garcetti Backs está propondo Tarifa Zero para o sistema de ônibus e metrô”, diz ele.

Tortoriello conclui com uma pergunta: “Se a mentalidade sobre custeio e importância do transporte público está mudando na meca do automóvel, os EUA, qual o motivo de termos tanta resistência dessas medidas aqui no Brasil?”.

Como mostrou o Diário do Transporte, a prefeitura de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, enviou em 27 de janeiro de 2020 à Câmara de Vereadores um pacote de medidas para obter receitas de financiamento dos transportes coletivos e reduzir os valores das tarifas.

Entre as propostas estão a taxação de serviços de carros de aplicativos, como Uber e 99; cobrar uma tarifa dos carros emplacados fora de Porto Alegre quando entrarem na cidade; acabar com a taxa administrativa de gerenciamento do sistema; reduzir o total de cobradores de ônibus; e criar uma taxação às empresas para garantir passe livre a quem está registrado em carteira.

Com as medidas, de acordo com os estudos da prefeitura, além de garantir tarifa zero para os trabalhadores formais em 2021, será possível que no mesmo ano, a tarifa comum seja de R$ 2 e para os estudantes, R$ 1. Relembre: Porto Alegre propõe taxar aplicativos para reduzir a zero tarifa de ônibus para trabalhador

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta