Moscou aposenta trólebus e vai desativar monotrilho

Monotrilho deve ser desativado em breve, segundo imprensa local

Prefeitura quer abrir museu do transporte. Apenas uma linha de trólebus está em operação. Monotrilho funciona desde 2004

ADAMO BAZANI

Os trólebus deram adeus à Moscou. Em, em breve, devem ser os monotrilhos de acordo com o site Russia Beyond (veja mais abaixo).

A capital russa que já teve quase 700 trólebus e uma rede de aproximadamente 600 km anunciou a desativação do sistema, que ocorreu de forma gradual. Chegou a ser uma das maiores redes do mundo e uma das mais movimentadas, com 1,1 milhão de passageiros todos os dias.

No lugar destes veículos conectados à rede aérea, foram colocados ônibus a diesel ou elétricos à bateria, chamados na cidade de “elektrobus”.

Apenas uma linha, a título histórico foi mantida, a que liga a praça Komsomolskaia à rua Novoriazanskaia.

É a segunda linha de trólebus da cidade, criada em 1937. Em um ponto do trajeto, a prefeitura pretende abrir um museu dos transportes com réplicas dos primeiro modelos.

A primeira linha de trólebus começou a operar em 15 de novembro de 1933.

O primeiro modelo foi o LK-1. Em 1936, surgiram os modelos YaTB, da Fábrica de Motores de Iaroslavl.

À agência de notícias estatal russa, Tass Leonid Antonov, diretor da companhia de transportes da capital, a Mosgortrans, disse que decisão de tirar os trólebus foi difícil.

O executivo disse que o intuito é ampliar a frota de ônibus elétricos à bateria para 2,6 mil unidades até 2024.

“Hoje temos 450 elektrobus, até o final do ano, teremos 600 e planejamos com que esse número alcance os 2,6 mil até 2024”, contou à agência.

Os fornecedores dos veículos são atualmente duas empresas russas: a “Gruppa GAZ” e a Kamaz.

Primeiro trólebus soviético foi o modelo LK-1 e começou a circular em Moscou em 15 de novembro de 1933.

O MTB-82 foi um dos primeiros trólebus pós-guerra na antiga URSS – União das Repúblicas Socialistas Soviéticas.

MONOTRILHOS:

Os monotrilhos, em operação desde 2004, em forma de testes e, desde 2008 comercialmente, também devem ser aposentados, mas sem reverências históricas.

“A recente revolução nos transportes da capital não se restringe, porém, apenas aos troleibus: o jornal russo “Vêdomosti” noticiou anteriormente que Moscou deve renunciar também aos monotrilhos que integram o sistema metropolitano como “linha n° 13”. Os monotrilhos da capital funcionam desde 2004.”  – diz trecho da matéria – https://br.rbth.com/estilo-de-vida/84298-moscou-aposenta-onibus-eletricos-com-fios .

Os trens de monotrilho transportam em média 20 mil passageiros por dia e ganharam mais apelo turístico, mas, segundo a imprensa local, a conta para a manutenção do sistema não fecha.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Laurindo Martins Junqueira Filho disse:

    O monotrilho de Moscou operava em apenas e tão somente 5 km. Não passava de uma “brincadeirinha” típica de planejadores “políticos” e não de transporte.
    substituir essa piada por um serviço de tróleibus, nos parece algo meritório. A antiga URSS, da qual q atual
    República Russa faz parte, foi detentora de 70% de todos os serviços globais de tróleibus. Mas as compilações estatísticas ocidentais costumam olvidar-se disso …

Deixe uma resposta