Empresas de ônibus lançam Simulador de Tarifas em Petrópolis (RJ)

Publicado em: 20 de agosto de 2020

De acordo com a ferramenta, preço da passagem no município poderia ser de R$ 1,71

JESSICA MARQUES

O Setranspetro (Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Petrópolis) lançou nesta semana um Simulador de Tarifas. O objetivo é oferecer aos passageiros a possibilidade de fazerem o cálculo da passagem de ônibus de Petrópolis, no Rio de Janeiro.

Assim, conhecendo os componentes que mais impactam para o valor final da tarifa, as empresas buscam demonstrar como seria possível deixar o valor mais baixo. O Simulador de Tarifas já está disponível e pode ser acessado por computador, smartphone ou tablet, por meio do site www.simulador.setranspetro.com.br/simulador2020/.

“Baseado em dados oficiais disponibilizados para consulta pública, qualquer cidadão poderá ter acesso ao custo, que poderia ser 61,1% mais barato no município, passando de R$ 4,40 para apenas R$ 1,71 com a implantação de políticas públicas”, informou o Setranspetro, em nota.

FATORES QUE COMPÕEM A TARIFA

Em suma, a ferramenta apresenta formas de reduzir a tarifa. Entre elas estão isenção tributária municipal, subsídios com parte do valor arrecadado com IPVA e IPTU, integração tarifada, entre outras medidas. Além disso, com a troncalização do Alto da Serra, Manoel Torres e Araras, por exemplo, o custo na passagem poderia ser R$ 0,10 menor.

“O Simulador de Tarifas tem como finalidade destacar para a população que o transporte coletivo é um serviço essencial e um direito de todos, inclusive, assim que é tratado pela Constituição Nacional. E por ter esta característica social, não pode ser visto como um problema exclusivo do empresário, uma vez que, se houver novas formas de financiamento público, pode-se chegar a um valor tarifário muito mais justo e acessível para todos”, afirmou Carla Rivetti, gerente do Setranspetro, em nota.

Na página, os passageiros podem optar por alternativas de múltiplas escolhas e acompanharão detalhadamente o custo simulado da passagem. Todos os cálculos foram realizados com base na tarifa atual, de R$ 4,40.

“Por fim, caso o governo investisse recursos para arcar com as passagens dos estudantes das redes municipal, estadual e particular de ensino, como forma de subsídio público, a tarifa de ônibus poderia ser R$ 0,70 mais barata. Atualmente, a gratuidade desses alunos correspondem a 590 mil passagens por mês. Já a gratuidade às pessoas portadoras de deficiências e doenças crônicas, que não podem interromper tratamento sob risco de morte, correspondem a 206 mil passagens mensalmente, elevando a tarifa em R$ 0,28″, detalha o sindicato, em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta