Prefeitura do Rio de Janeiro cria comitê para readequar transporte coletivo

Publicado em: 11 de agosto de 2020

Objetivo é propor medidas para melhorar as linhas e serviço prestado, além de realizar avaliações

WILLIAN MOREIRA

A Prefeitura do Rio de Janeiro criou nesta terça-feira, 11 de agosto de 2020, o “Comitê Executivo no âmbito da Secretaria Municipal de Transportes” para readequação emergencial das linhas e serviço público de ônibus na capital fluminense.

Um dos principais objetivos deste grupo é avaliar os impactos sofridos pelo transporte na pandemia e verificar as linhas com mais reclamações e sua demanda de passageiros.

A partir disto, as necessidades dos passageiros, do poder concedente e dos concessionários será analisada e assim traçar mudanças em trajetos, horários e outros pontos que devem levar em consideração eliminar sobreposição de linhas e valorizar a integração com outros modais, por exemplo, trem e Metrô.

O comitê será formado por membros relacionados ao setor, dentre eles o subsecretário de transportes, coordenador do sistema de BRT, coordenador de fiscalização e licenciamento, entre outros.

A ordem hierárquica é a seguinte:

I – Subsecretário de Transportes;
II – Coordenador de Planejamento;
III – Coordenador de Gestão da Operação;
IV – Coordenador de Rede de BRT;
V – Coordenador de Gestão e Monitoramento;
VI – Coordenador de Fiscalização e Licenciamento.

O prazo é de trinta dias para que eles apresentem um relatório conclusivo, apresentando propostas de alteração de linhas e estruturação de itinerários.

WhatsApp Image 2020-08-11 at 10.54.34

TRANSPORTE VEM PERDENDO EMPRESAS

Em menos de cinco anos, pelo menos 15 empresas de ônibus deixaram de operar na capital. A última foi a Transportes Estrela, provocando reclamações de passageiros pela demora e até ausência de atendimento em alguns trajetos.

Na ocasião, a Secretaria Municipal de Transportes informou que as concessões são para consórcios e não empresas de forma individual, cabendo ao concessionário realocar ônibus para atender as linhas de sua responsabilidade.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2020/08/03/passageiros-reclamam-de-falta-de-atendimento-apos-transportes-estrela-fechar-no-rio-de-janeiro/

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. JOAO LUIS GARCIA disse:

    Ta ai uma boa ideia, creio que todos os sistemas nas cidades deveria contar com algo igual ou parecido, inclusive para avaliar, cobrar e readequar através de aditivos que seriam assinados entre as partes, poder concedente e as concessionarias.
    Inclusive quando do reequilíbrio econômico financeiro do contrato estiver sofrendo alterações em razoes de diversas situações, assim teríamos um sistema solido aonde tanto a população, como o órgão gestor e a concessionaria estariam sendo bem atendidos.

Deixe uma resposta