Prefeitura de São Paulo propõe R$ 83 milhões para atingir meta de reforma de 50 km de corredores de ônibus em 2021

Faixa de ônibus em São Paulo, algumas estruturas precisam de reforma

Valor consta em projeto de orçamento da gestão municipal enviado à Câmara Municipal

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São Paulo pretende destinar R$ 83,2 milhões (R$ 83.232.695,73) para atingir a meta de reformar 50 km de corredores ou faixas exclusivas de ônibus. O dinheiro também inclui a manutenção de 50 paradas nestes espaços.

O dado foi publicado no Diário Oficial da cidade de São Paulo desta quarta-feira, 29 de julho de 2020, e faz parte da proposta de orçamento para o ano que vem, que será votada até dezembro pela Câmara Municipal.

A meta está inserida no PPA – Plano Plurianual de 2018-2021: “Implementar um sistema de transporte rápido, moderno e acessível para que possa se deslocar com qualidade pela cidade”.

Atualmente, são realizados serviços de tapa-buraco em faixas e corredores de ônibus compreendendo espaços Radial Leste e avenidas Celso Garcia, Belmira Marin, Interlagos, Engenheiro Armando de Arruda Pereira, Brigadeiro Luís Antônio, Santo Amaro, Washington Luiz, 23 de Maio e Senador Teotônio Vilela.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/04/14/sptrans-diz-que-foram-fechados-mais-de-18-mil-buracos-em-faixas-e-corredores-de-onibus/

Especificamente esta meta não destaca a criação de novas faixas e corredores.

TROCA DE ASFALTO POR CONCRETO:

Como mostrou o Diário do Transporte, a SPTrans, gerenciadora dos transportes da cidade de São Paulo, homologou a contratação da JZ Engenharia e Comércio Ltda para substituir asfalto por concreto em paradas de ônibus localizadas fora de corredores.

As obras devem ser feitas em 12 meses e o contrato é de R$ 18,8 milhões (R$ 18.887.095,23).

O pavimento de concreto é mais indicado para tráfego de ônibus que o asfalto que não tem a mesma resistência para suportar o peso e as frenagens constantes deste tipo de veículo.

As intervenções contemplam as reformas de guias, sarjetas e calçadas.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/07/07/sptrans-contrata-por-r-18-milhoes-empresa-para-trocar-asfalto-por-concreto-em-paradas-de-onibus/

Nesta quarta-feira, 29, a SPTrans publicou em Diário Oficial o extrato da contratação.

METAS MUDARAM E NOVAS CORREM RISCO:

A Prefeitura de São Paulo planejava para 2028 que a cidade tenha 565 quilômetros de corredores exclusivos para ônibus.

Atualmente, a cidade tem em torno de 130 quilômetros de corredores em mais de 17 mil quilômetros de vias. A frota de ônibus é de pouco mais de 13 mil coletivos (sem contar efeitos da pandemia).

Quando começou a gestão, o então prefeito de São Paulo, hoje governador, João Doria, estipulou como meta 72 quilômetros até o fim de 2020.

Contudo, o prefeito Bruno Covas teve de rever a meta para apenas 9,4 quilômetros novos e 43,4 quilômetros de reformas em faixas e corredores já existentes.

Entretanto, até mesmo essa meta menor corre risco de não ser realizada principalmente por causa dos efeitos econômicos do coronavírus, que causa a Covid-19, doença que teve origem na China e se alastrou pelo mundo.

Adamo Bazani,  jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta