Terminal Tatuapé terá revitalização concluída neste mês, diz concessionária dos espaços integrados ao Metrô de São Paulo

Representação gráfica de como será padronização de terminais. Imagem Unitah

Unitah Empreendimentos assumiu 13 terminais e promete abrir áreas comerciais amplas e mais modernas para franquias

ADAMO BAZANI

O terminal de ônibus Tatuapé, na zona Leste de São Paulo, integrado à linha 3-Vermelha do Metrô vai ter as obras de revitalização concluídas ainda neste mês.

A promessa é da Unitah Empreendimentos, consórcio liderado pelo Grupo Rezek, ao Diário do Transporte na tarde desta quarta-feira, 08 de julho de 2020.

O consórcio assumiu a concessão por 30 anos de 13 terminais de ônibus administrados pela companhia do Metrô de São Paulo,  interligados às linhas 1-Azul (Jabaquara/Tucuruvi) e 3-Vermelha (Barra Funda/Itaquera).

Outra promessa é transformar os espaços em áreas de “convivência com ampla oferta de comércio e serviços.”

Por meio de nota, a Unitah diz que no lugar de quiosques serão criados estabelecimentos mais amplos com infraestrutura e layout mais modernos, somando mais de 14 mil m² e 1.410 espaços disponíveis para locação.

Nestes terminais passavam, antes da pandemia, aproximadamente 1 milhão de passageiros por dia.

Como mostrou o Diário do Transporte, são sete terminais onde será possível construir empreendimentos como shopping centers, academias de ginástica, hospitais, laboratórios, escolas, prédios comerciais e residenciais, consultórios médicos, entre outros.

São sete terminais edificáveis:

– Santana (linha 1)

– Ana Rosa (linha 1)

– Patriarca Norte (linha 3)

– Vila Matilde Norte (linha 3)

– Carrão Norte (linha 3)

– Tatuapé Norte (linha 3)

-Tatuapé Sul (linha 3)

São seis terminais não edificáveis:

– Parada Inglesa (linha 1)

– Armênia (linha 1)

– Artur Alvim (linha 3)

– Penha Norte (linha 3)

– Carrão Sul (linha 3)

– Brás (linha 3)

Na nota, presidente da Unitah, Luiz Fernando Ferraz Bueno, disse que uma das oportunidades de negócios será para pequenos empreendedores e empresários que investem no modelo de franquias e que o objetivo é atrair para as atividades comerciais até mesmo quem não usa o transporte público.

“Será uma experiência inovadora não apenas para os habituais usuários de transporte público, mas para todos os cidadãos que poderão usufruir de uma oferta diversificada de serviços e produtos. Com o empresário mais perto do seu cliente, queremos transformar os novos espaços em local de destino para compras e de facilidades ao público”, afirmou.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. RodrigoZika disse:

    Vamos ver se moderniza.

  2. Moisés disse:

    Essas obras estão tornando a estação armênia, o terminal Sul em um lugar perigosíssimo. Os tapumes da obra tiram a visualização do entorno sendo prato cheio para ladrões, além da praça estar cheia de delinquentes. Muita insegurança!

  3. JOSE LUIZ VILLAR COEDO disse:

    Cadê as OBRAS NO TERMINAL DO METRÔ SANTANA??!

  4. orlando silva disse:

    Prá quem não sabe o terminal Tatuapé, é o unico lugar que tem 2 shoppings, lado a lado,,,,Não entendo fazer espaço de lojas e gourmet, se lá dentro tem praça de alimentação, muito bem equipada,,,…???

Deixe uma resposta