EPT de Maricá fica em segundo lugar em ranking de transparência do Ministério Público no Rio de Janeiro

Publicado em: 4 de julho de 2020

Linhas não têm cobrança de tarifa

Foram analisadas 45 empresas e autarquias públicas no Estado

ADAMO BAZANI

O Ministério Público do Rio de Janeiro divulgou nesta semana os resultados do Projeto Edificando o Controle Interno, uma ferramenta, segundo o órgão, que visa “colaborar na estruturação do controle interno do Estado do Rio de Janeiro, dos municípios fluminenses e das autarquias estaduais e municipais e, assim, estimular a transparência e o controle social, de modo a fortalecer também o controle externo da Administração Pública.”

A EPT – Empresa Pública de Transporte de Maricá ficou em segundo lugar.

Conhecida como operadora dos “ônibus vermelhinhos”, que não cobra tarifa, a companhia obteve nota 7.61, ficando apenas atrás da atual gestão do DETRAN – Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro.

Entre os pontos considerados pelo trabalho do MPRJ foi se o sistema de controle interno promove ações destinadas a assegurar a acessibilidade, a integridade e a clareza das informações e dados disponibilizados ou fornecidos ao cidadão.

Em nota, a empresa pública informou que um dos aspectos buscados foi dar transparência aos gastos públicos.

“A EPT entende que a relação da Autarquia com o povo de Maricá deve ser a mais abrangente possível, participando da elaboração, acompanhamento e fiscalização dos gastos públicos, divulgando de forma clara e transparente, todas as ações adotadas pela Empresa em todos os meios de comunicação.”

A EPT de Maricá é uma as poucas empresas públicas de operação de transporte no Brasil em atividade. A companhia foi criada em 2014 e, no dia 18 de dezembro do mesmo ano, começou a prestar serviços.

Veja o ranking na íntegra:

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta