Rodoviários da Sorriso de Minas voltam ao trabalho em Uberlândia após acordo

Foto: Prefeitura de Uberlândia

Trabalhadores cruzaram os braços nesta segunda-feira, 08. Apenas 25% da frota circulou

ALEXANDRE PELEGI

Terminou a greve dos motoristas da empresa Sorriso de Minas, uma das concessionárias do transporte coletivo de Uberlândia, interior de Minas Gerais.

O movimento foi suspenso após reunião realizada na tarde desta segunda-feira, 08 de junho de 2020.

O Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano de Uberlândia (Sinttrurb) informou que foi fechado um acordo com a empresa de ônibus, e os trabalhadores retornariam ao trabalho nesta terça-feira, 9 de junho de 2020.

Como mostrou o Diário do Transporte, os funcionários da concessionária Sorriso de Minas, uma das três empresas que atua no transporte coletivo na cidade, paralisaram as atividades na manhã desta segunda-feira, 8 de junho.

O ato de protesto realizado frente à garagem da empresa, no bairro Tubalina, ocorreu em reivindicação ao pagamento integral dos salários.

Como mostrou o Diário do Transporte, no dia 18 de maio passado o transporte coletivo por ônibus em Uberlândia teve problemas semelhantes, desta vez por conta da empresa AutoTrans, que não prestou o atendimento aos passageiros.

A AutoTrans seria uma das empresas beneficiadas em um repasse de R$ 20 milhões que seria feito pelo município, como plano de ajuda no momento da crise provocada pelo coronavírus, que diminuiu de forma significativa, a demanda de passageiros. Este repasse foi suspenso pela Câmara de Uberlândia, em atendimento a recomendação do Ministério Público.

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), por meio do desembargador, Nelson Missias Morais, decidiu suspender uma liminar que deu o prazo de 24 horas para a Prefeitura da cidade de Uberlândia interviesse na empresa AutoTrans, responsável pelo transporte coletivo municipal. Relembre: TJ-MG suspende liminar que obriga intervenção no transporte coletivo em Uberlândia

Nesta segunda, 08, após o protesto dos trabalhadores, o Sindicato das Empresas divulgou nota:

As empresas de transporte urbano de Uberlândia e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Triângulo Mineiro (Sindett) informam que foram surpreendidos pela ação do Sindicato dos Trabalhadores e que todo esforço que está sendo feito é com o objetivo de manter os empregos de seus colaboradores e a prestação de serviço para a população.

As empresas afirmam que, atualmente, com a queda de 60% da receita, estão arcando com todos os custos da operação e, ainda assim, não realizaram demissões em massa. Ainda informam que outros compromissos deixaram de ser honrados ou foram renegociados para dar prioridade ao pagamento dos colaboradores.

A Sorriso de Minas, que em toda sua história em Uberlândia jamais atrasou os salários de seus colaboradores, esclarece que está em dia com o pagamento da cesta básica, do vale alimentação, do plano de saúde e do convênio odontológico. Porém, assim como as demais empresas, que também estão passando por essa crise, desta vez, pouco pode fazer para evitar o atraso.

As dificuldades enfrentadas pelas concessionárias foram reportadas, desde o início da pandemia, ao poder concedente, acompanhadas sempre de pedidos de medidas administrativas para minimizar a crise, recompondo o equilíbrio econômico-financeiro do contrato de concessão para que o sistema de transporte possa sobreviver durante este período de pandemia de saúde pública, no entanto, até o momento não houve qualquer medida administrativa emergencial de reequilíbrio.

Em razão disto, as concessionárias propuseram Medida Judicial para que seja determinado ao Município a abertura de procedimento administrativo tendente à cobertura do déficit originado pelas ações adotadas para combate à pandemia da Covid-19.

As empresas ressaltam os esforços para regularizar a situação o mais breve possível e reforçam a importância da colaboração de todos os envolvidos no sistema, uma vez que, assim como outros setores, está à beira do colapso.

Ainda reiteram que continuam abertas ao diálogo para construir uma solução viável para todas as partes, com o intuito de que os clientes sejam assistidos da melhor forma.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Deixe uma resposta