Metrô abre licitação de anteprojeto funcional da Linha 20-Rosa, ligando a Lapa (SP) a Santo André

Processo envolve prestação de serviços técnicos especializados de engenharia, arquitetura e geologia, além de estudo de impacto ambiental

ALEXANDRE PELEGI

A Companhia do Metrô de SP, lançou Licitação para a execução do anteprojeto de engenharia/projeto funcional e estudo de impacto ambiental da linha 20 – Rosa, ligando a Lapa, em São Paulo, ao município de Santo André.

A publicação está no Diário Oficial do Estado deste sábado, 06 de junho de 2020.

O Edital estará disponível no site da Companhia do Metrô, http://www.metro.sp.gov.br, a partir de segunda-feira, dia 08.

A Sessão pública de recebimento de propostas está marcada para 21 de junho próximo, às 14h.

O Prazo de vigência contratual será de 36 meses.

 

linha20

No Edital preliminar, o Metrô de SP aponta que a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) possui em operação, dentro de seus limites administrativos, 349,5 km e 165 estações de rede de transporte coletivo estrutural sobre trilhos, dos quais 101,2 km e 83 estações são da rede de metrô e monotrilho.

Nos dias úteis o sistema metroviário transportou, em média, cerca de 5,3 milhões de passageiros (maio/2019).

“A expansão da rede permanece em curso, porém, as necessidades da RMSP por infraestrutura de transporte estrutural são maiores do que os investimentos disponíveis”, afirma o documento do Metrô de SP.

Ainda segundo o Edital, a primeira etapa do trabalho é a concepção da rede, que define a função de cada uma das linhas e estações dentro deste contexto – como elementos integrantes de uma rede – possibilitando a execução da segunda etapa de trabalho, que aprofunda sua funcionalidade e suas dimensões.

A segunda etapa, conhecida como anteprojeto de engenharia/projeto funcional de uma linha ou trecho de linha e suas estações, é objeto do termo de referência apresentado pela Companhia.

Seguindo as estratégias de expansão da rede, está previsto o desenvolvimento do anteprojeto de engenharia/projeto funcional da Linha 20-Rosa. Esta linha foi concebida como parte integrante da rede metroferroviária futura, com uma configuração perimetral, para interligar os municípios de São Paulo, Santo André e São Bernardo do Campo.

As conexões com a Linha 10-Turquesa da CPTM, em Santo André, e com as Linhas 7-Rubi e 8-Diamante, também da CPTM, na Lapa, ampliam sua abrangência para diversos municípios da RMSP. As Figura 1 e 2 apresentam a configuração preliminar das estações e conexões da Linha 20-Rosa com a rede futura”.


JUSTIFICATIVA

De acordo com o documento do Metrô de SP, a Linha 20 – Rosa tem como principais funcionalidades:

a) conectar as linhas radiais da rede de transporte coletivo estrutural, bem como corredores viários relevantes, presentes nos setores sudeste, sul, sudoeste e oeste da Região Metropolitana de São Paulo;

b) interligar as centralidades da Lapa, Pinheiros, Itaim Bibi, Vila Olímpia, Moema, Cursino, Rudge Ramos e Santo André, para facilitar o acesso dos passageiros a essas regiões, atualmente concentradoras de grande quantidade de empregos;

c) possibilitar a distribuição de passageiros pela rede, sem a necessidade de deslocamentos até a região central.

Em sua diretriz a linha terá cerca de 31 km de extensão e 24 estações, com as seguintes integrações previstas na rede, em estações a serem definidas ao longo deste estudo:

  • 6-Laranja;
  • 10-Turquesa;
  • 1-Azul;
  • 5-Lilás;
  • 19-Celeste;
  • 22-Bordô;
  • 4-Amarela;
  • 2-Verde;
  • 7-Rubi, e
  • 8-Diamante.

Estes locais obrigatoriamente deverão prever estações de integração da Linha 20-Rosa com as linhas relacionadas.

Serão também atendidos diversos corredores viários por onde circula grande volume de linhas de ônibus, tais como:

  • Corredor de ônibus Pirituba/Lapa/Centro;
  • Rua Cerro-Corá;
  • Avenida Pedroso de Morais;
  • Binário formado pelas ruas Teodoro Sampaio e Cardeal Arcoverde;
  • Corredor de ônibus Campo Limpo/ Rebouças/ Centro;
  • Avenida Brigadeiro Faria Lima;
  • Corredor de ônibus Cidade Jardim/ Nove de Julho;
  • Corredor de ônibus Santo Amaro/ Nove de Julho/ Centro;
  • Corredor de ônibus José Diniz/ Ibirapuera/ Santa Cruz;
  • Avenida do Cursino;
  • Avenida Doutor Rudge Ramos;
  • Avenida Lauro Gomes;
  • Avenida Presidente Kennedy;
  • Avenida dos Estados;
  • Corredor ABD, e
  • Rodovias dos Imigrantes e Anchieta.

As estações da Linha 20-Rosa que estiverem próximas dos eixos de transporte acima deverão prever, em seus projetos, suficientes para a integração entre os modos, bem como as intervenções necessárias no viário (pedestres e leito carroçável) para o cumprimento das funcionalidades previstas para a linha. A Figura 3 apresenta os principais eixos de transporte a serem atendidos pela Linha 20-Rosa.

O Edital aponta ainda que na área de influência direta da Linha 20-Rosa vivem cerca de 1 milhão de pessoas e existem também 1 milhão de empregos.

Diariamente, estima-se que a Linha 20-Rosa transportará cerca de 1 milhão de passageiros quando totalmente concluída. Por ser uma linha perimetral, de caráter distribuidor, nos horários de pico apresenta um carregamento máximo de cerca de 32 mil passageiros por hora no sentido mais carregado.

O modo escolhido para esta ligação é o metrô convencional.

A conexão feita pela Linha 20 entre as linhas 10-Turquesa, 1-Azul, 5-Lilás, 4-Amarela e demais linhas oferecerá a população de sua área de influência novas opções de deslocamento, ampliando e melhorando sensivelmente as condições de mobilidade na região.

Fazem parte dos estudos sobre a Linha 20-Rosa, a previsão de locais para pátio de manutenção, teste e estacionamento de trens, bem como áreas para manobra e estacionamento de trens ao longo da linha e as possibilidades de faseamento de implantação.


MAIOR SEGURANÇA PARA O INVESTIDOR

O Governo do Estado de São Paulo pretende fazer desapropriações e dar maior segurança para o investidor na execução dos projetos das linhas 19-Celeste (Bosque Maia/Guarulhos a Anhangabaú/São Paulo) e 20-Rosa (Santo André a Lapa/São Paulo) do Metrô.

A informação foi divulgada pelo secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy, em entrevista a portais de mobilidade, incluindo o Diário do Transporte, em 14 de maio de 2020.

“Nossa intenção sobre esses dois projetos é uma modelagem que possa absorver o capital privado quase que integralmente. A equipe do Metrô está fazendo uma modelagem para que a gente consiga evitar desapropriação, buscando trazer eventuais proprietários das áreas que o Metrô precisará, reduzindo drasticamente o tamanho das estações, para o essencial e necessário”, afirmou o secretário.

Baldy afirmou ainda que o objetivo é garantir maior segurança ao eventual investidor para que ele possa entrar no projeto, com garantias factíveis do ponto de vista que o Governo do Estado possa oferecer.

“Queremos fazer um novo case onde nós buscamos a modelagem do investimento integral por parte do investidor privado”, afirmou também Baldy.

Confira o vídeo da entrevista: Assista: Alexandre Baldy fala sobre situação das futuras obras no transporte e lockdown

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa tarde.

    Particularmente, entendo que tem de contratar um projeto, para definir um melhor trajeto para implantação de uma nova linha de trilhos.

    Esse trajeto aí passa por locais já é muito bem atendido por transporte coletivo.

    Se reunir boas cabeças pensantes com certeza se achará um trajeto muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiito mais merecedor de uma nova linha de trilhos.

    Fica aí para reflexão de todos.

    SAÚDE A TODOS!

    Att,

    Paulo GIl

  2. Alexandre disse:

    Paulo Gil, eu sou morador da região (Padre Arlindo Vieira) e posso te dizer que a nossa necessidade de uma linha de metrô na região é gritante! Não somos atendidos nem por monotrilho, trem ou metrô. Os trajetos destas regiões até o metrô são cansativos. Sabemos que há outras regiões que precisam muito de metrô, mas a nossa é uma delas.

  3. Fabio disse:

    Esse projeto era pra copa de 2014.

  4. Josiane Gomes de Araujo disse:

    Sou moradora de São Bernardo do Campo essa linha atende a muitas pessoas sim liga com varias outras linhas, e o governo do estado está em debito em relação ao ABCD, desde o fura fila que o projeto original iria até São Caetano do Sul importante lembrar que muitos do extremo leste se deslocam por SCS e Santo André no caso do monotrilho o projeto era passar por São Bernardo chegar até a divisa ou Diadema ligando assim com a linha Lilas do Metro beneficiando as pessoas do extremo sul por exemplo Cidade Ademar mais próximo de Diadema e Região do Livieiro na divisa com São Bernardo e região da Cursino divisa com Diadema deixaram de ser atendidas mais um vez fatiaram os projetos não chegando nos extremos justamente quem mais precisa e a população paga a conta em tempo e dinheiro gastando mais para se deslocar.

  5. Luciana disse:

    Será que eu vou chegar a ver e andar nesse metrô? Considerando a morosidade das construções públicas.

  6. Rogerio Belda disse:

    Eu fiquei contente em ver como os residentes na capital de São Paulo se interessam, ainda, ( e com razão ), pelos aspectos da expansão do sistema de metrô. Agora, neste século, sou um engenheiro & urbanista aposentado. Porém, sei que muitas mudanças, ainda ocorrerão (sejam elas: técnicas, sociológicas , politicas ou mesmo sociais ) mas a mobilidade, nas metrópoles do futuro, será cada vez mais essenciais, ainda que surjam novos sistemas de deslocamentos em âmbito metropolitanos, pois nenhum substituirá a importância dos sistemas metro-ferroviários devido a sua capacidade de transporte de pessoas e especialmente a sua velocidade.

  7. Priscila Soares disse:

    Moro na Av. do Cursino e realmente será ótimo para os moradores da Padre Arlindo, São João Clímaco entre outros. Só espero poder andar nele ainda nessa encarnação.

  8. Alexandre disse:

    Rogério Belda, desde a invenção do transporte de trilhos até os dias atuais, os trilhos continuam sendo imbatíveis! Eu pessoalmente acho que mesmo que continuem a inventar novos meios de transporte, o trilho sempre sempre sempre vai ser viável.

  9. Jonas Oliveira Santos disse:

    Atualiza a população por favor!

    Precisamos muito desse metro no ABC.

  10. Anísio Macedo de Sa disse:

    Vai deixar Mauá fora do projeto, é o Governador não gosta do povo de Mauá. Cadê o Prefeito é agora que você têm que mostrar Seu trabalho

Deixe uma resposta