Empresas de ônibus de Florianópolis já têm plano preparado para retomada do transporte

Publicado em: 26 de maio de 2020

Marcação já aplicada a estrutura de venda de créditos para cartão transporte. Foto: Setuf

Plano sanitário para a capital catarinense e região foi divulgado à imprensa pelo Setuf, sindicato das operadoras

ALEXANDRE PELEGI

O Governo de Santa Catarina pode definir nesta semana a retomada do transporte coletivo no estado. Relembre: Santa Catarina define na próxima semana volta do transporte coletivo

Enquanto isso não ocorre, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros da Grande Florianópolis (Setuf) já tem um plano sanitário preparado para entrar em ação assim que transporte coletivo em Florianópolis e região for retomado.

O Plano foi elaborado pelo Grupo Gestor Consórcio Fênix.

O documento, divulgado à imprensa, será colocado em prática assim que houver o anúncio tanto do governo estadual, quanto da prefeitura, que tem sido mais reticente quanto ao assunto.

O documento estabelece os procedimentos sanitários para as equipes envolvidas na prevenção da disseminação da COVID-19 em vários itens:

  • Higienização da frota operante ao longo do serviço;
  • Higienização da frota operante após o serviço;
  • Boas práticas operacionais para as equipes embarcadas;
  • Comunicação conscientização do passageiro e equipes;
  • Procedimentos em caso de colaboradores com sintomas gripais suspeitos da COVID-19;
  • Controle de ocupação dos ônibus;
  • Bilheterias de venda de passagens e recarga de cartões;
  • Sede da venda de créditos de transporte – Passe Rápido e Passe Fácil;
  • Estrutura e processos em terminais de integração da rede.

setuf_01

Pelo descritivo do plano de 35 páginas, equipes das empresas de ônibus estarão nos terminais de integração (quando disponível) ou em pontos de início ou fim de serviço (nos casos de operação sem passagem por terminal), realizando higienização da frota, ao longo do dia de operação.

Os veículos serão higienizados, a cada operação, além da obrigatoriedade do uso de máscaras. Em todos os terminais serão instaladas pias com água e sabão. Dentro dos ônibus já estão instalados dispensers de álcool gel.

setuf_02

Para minimiza o risco de aglomerações, o documento do Setuf explica que a lotação do ônibus poderá exceder a quantidade máxima de passageiros sentados, mas o número de passageiros em pé evitará que as pessoas se encostem umas nas outras durante o trajeto.

O motorista poderá decidir não parar mais em pontos, caso a lotação esteja excedida.

Dentro dos terminais já foram pintadas marcações e anúncios onde as pessoas são orientadas a manter a distância de, no mínimo, 1,5 metro.

Os tradicionais amarelinhos circulam com as mesmas medidas de segurança, e não vão operar com ar-condicionado, mantendo as janelas abertas para evitar a proliferação de vírus e bactérias.

Leia a íntegra do Plano do Setuf clicando no link: Plano Setuf Retomada do transporte coletivo-pdf

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Raimunda Custódia da Silva disse:

    Isso já virou uma piada. Qualquer pessoa que anda pela cidade já percebeu que a MAIORIA está pouco se lascando para o vírus. Libera logo este ônibus pois quem está perdendo mesmo é o pobre trabalhador.

  2. Ondatur Transporte Escolar e Turismo disse:

    Ônibus coletivo não tem restrições de distanciamento dos assentos. Vans, micro ônibus e ônibus turismo tem que transportar 50% de sua lotação. Dando distanciamento de bancos. Gostaria de uma explicação?

  3. Everton disse:

    Do lado de fora do ônibus tem que manter um distanciamento de no mínimo 1,5m, dentro do ônibus pode viajar lado à lado? Qual o sentido de distanciamento se as pessoas vão andar praticamente grudadas dentro dos ônibus (pois o corredor é estreito)? Pensam em aumentar o número de horários para evitar aglomeração? No início do ano eu pegava ônibus super lotado para ir trabalhar, agora se o ônibus estiver meio cheio o motorista não vai parar e terei que ficar esperando outro carro… meu trabalho usa ponto eletrônico, não posso chegar atrasando se não perco o dia. A solução no momento não é eficaz (e continua sendo muito arriscada), a não ser que realmente sejam cumpridas as normas (e muito bem fiscalizadas), e além disso deveriam disponibilizar mais ônibus e proibir mais de uma pessoa por banco. O problema maior nem está no transporte público e sim nas pessoas que não se preocupam com o próximo (que pensam que é só uma gripezinha), não usam máscara e vivem fazendo festa com os amigos até tarde da noite. Os cobradores precisam de um treinamento especializado, pois se uma pessoa estiver tossindo e quiser tirar a máscara pois não está conseguindo respirar direito, o que vai ser feito (esse é apenas um exemplo de muitos que podem aparecer diariamente).

Deixe uma resposta