Rodízio de São Paulo tem 600 mil placas isentas, diz SMT em Fórum de Secretários

Publicado em: 15 de maio de 2020

Até quarta-feira, 13, 241 mil placas escaparam da restrição, por serem de veículos de pessoas que atuam em atividades essenciais

ALEXANDRE PELEGI

O assessor e representante da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transporte de São Paulo, José Luiz Nakama, informou, em debate na 96ª reunião do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Mobilidade Urbana, que até esta quarta-feira, 13 de maio de 2020, cerca de 600 mil placas de automóveis estão isentas do rodízio mais severo determinado pela prefeitura.

O Fórum acontece nesta sexta-feira, 15 de maio de 2020, de forma virtual.

Segundo Nakama, 241 mil veículos conseguiram obter a liberação de circulação no rodízio até esta quarta-feira, 13.

Somadas às outras mais de 300 mil placas que já tem o direito à isenção, anteriormente ao novo sistema de rodízio, temos aí cerca de 600 mil veículos liberados”, disse Nakama.

Segundo Nakama, o rodízio atingiu seu objetivo, ao conseguir que cerca de 1 milhão de pessoas deixassem de circular na cidade o que é fundamental nesse momento de pandemia.

Após o início do rodízio, os ônibus da capital tiveram um acréscimo de 14,8% no número de passageiros, quando comparados os dados da segunda-feira, 04 de maio, primeiro dia antes da medida, e esta segunda, 11 de maio, ainda de acordo com a apresentação.

Com ideia de operar com 600 ônibus em bolsões, para reforçar o sistema, Nakama acredita que a medida está conseguindo atingir sua principal finalidade, que é garantir o transporte essencial, e evitar que as pessoas saiam de casa sem necessidade.

Entretanto, o Diário do Transporte tem noticiado que em muitas viagens, principalmente nos extremos das zonas Leste e Sul da cidade, há viagens com ônibus lotados, o que contraria as recomendações dos órgãos de saúde.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta