Greve de ônibus no ABC é adiada com promessa de pagamento por empresas do Grupo Baltazar

Além de linhas intermunicipais no ABC, grupo opera municipais em Santo André

Paralisação ainda não foi descartada completamente. Companhias esperam repasse da EMTU

ADAMO BAZANI

A greve de ônibus que atingira parte do ABC Paulista nesta quinta-feira, 14 de maio de 2020, foi adiada após o Grupo Baltazar sinalizar pagamento de salários, férias e benefícios que não foram depositados.

A informação é do vice-presidente do Sintetra, sindicato que representa os trabalhadores em transportes na região, Leandro Mendes da Silva, ao Diário do Transporte na noite desta quarta-feira, 13 de maio de 2020.

Um dos proprietários do grupo, Dierly de Sousa, filho de Baltazar José de Sousa, prometeu fazer os depósitos até sexta-feira, 15, assim que receber repasses financeiros da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos.

A situação do grupo, que está em recuperação judicial, foi agravada com a queda de demanda de passageiros por causa do avanço da Covid-19.

No aviso de greve enviado às empresas do grupo, à EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (linhas intermunicipais), à SATrans (gerenciadora dos transportes municipais de Santo André), e ao sindicato que reúne as empresas de ônibus do ABC, o Sintetra informou que as companhias não estão realizado os pagamentos previstos em convenção coletiva.

Segundo o sindicato dos trabalhadores, diversos funcionários foram colocados em férias no início de abril e que, pela convenção trabalhista, deveriam receber no início de maio, o que não ocorreu.  Além de férias, não houve pagamento também de salários e vales-alimentação. Há ainda a possibilidade de corte do plano de saúde.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta