Paralisação de ônibus em Sorocaba afeta passageiros durante assembleia de rodoviários. Volta foi gradual

Motoristas em protesto. Foto: Sindicato Rodoviários

Trabalhadores protestam contra atraso em pagamento

ADAMO BAZANI

Passageiros de ônibus de Sorocaba, no interior paulista, ficaram sem transporte na tarde desta quinta-feira, 23 de abril de 2020.

Funcionários das empresas concessionárias da cidade cruzaram os braços durante a realização de uma assembleia da categoria contra o atraso no pagamento do adiantamento salarial previsto em convenção coletiva. Também reclamam que os salários de março não foram pagos integralmente.

As empresas STU e Consor alegam que não conseguiram realizar os pagamentos na data correta por causa da queda de demanda devido à pandemia do novo coronavírus que teve origem na China e se alastrou por todo o mundo.

As companhias reclamam que a prefeitura está pagando subsídios referentes a apenas 40% da frota e dizem que se não houver uma solução financeira podem demitir funcionários.

Em nota, o Sindicato dos Rodoviários Sorocaba e Região diz que o protesto começou 12h30 e que a partir de 16h, os serviços começaram a ser restabelecidos gradualmente. Ainda de acordo com entidade trabalhista, novos protestos podem ocorrer e até mesmo uma paralisação total do sistema não está descartada se não houver uma solução.

Os trabalhadores em transporte urbano de Sorocaba realizaram um protesto na tarde desta quinta-feira, 23, por falta de pagamento de salário e por causa da intransigência das empresas CONSOR e STU na negociação.

As empresas, que não pagaram o salário completo referente ao mês de março, agora também não pagaram o adiantamento salarial no dia 20 deste mês.

O protesto aconteceu porque os trabalhadores estão praticamente sem salário e estão trabalhando diariamente, correndo risco alto de contaminação pelo novo coronavírus.

Ao contrário do que as empresas divulgam, o Sindicato aceitou a adoção de acordo de trabalho conforme a Medida Provisória 936 com ressalvas, conforme está fechando com diversas empresas.

O protesto teve início às 12h30 e terminou às 16h. Os trabalhadores retornaram à atividade para transportar a população no retorno para a casa.

A categoria aprovou que, caso a questão salarial e do acordo para este período de pandemia não sejam resolvidos, irá intensificar os protestos nos próximos dias e a paralisação total do sistema não está descartada.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta