Coronavírus: Praças públicas de Mauá estão fechadas e Zona Azul segue suspensa

Frota de ônibus opera em 50% nos horários de pico e 30% nos demais. Foto: Adamo Bazani.

Também está em vigor liberação dos corredores exclusivos de ônibus para carros de aplicativos e convencionais

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Mauá, no ABC Paulista, informou que o pagamento da Zona Azul segue suspenso na cidade. Além disso, segue em vigor a liberação dos corredores exclusivos de ônibus para carros de aplicativos e convencionais.

As medidas têm como objetivo prevenir a proliferação do novo coronavírus. Além disso, as praças públicas estão fechadas e está sendo feita diariamente a higienização do terminal de ônibus e imediações.

Com relação ao transporte coletivo, segundo a Prefeitura, a frota atua com o mesmo percentual acordado entre as sete cidades da região: 50% nos horários de pico e 30% nos demais.

Aos fins de semana e feriados, a frota está sendo de 30% nos horários de pico e 15% nos demais. Além disso, não houve restrições em gratuidades, segundo a Prefeitura.

As vias da cidade também não estão bloqueadas, como ocorre em outros municípios, como São Caetano do Sul, por exemplo, para evitar a circulação de pessoas e garantir o cumprimento da quarentena.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. WASHINGTON LUIZ DE ALMEIDA COSTA disse:

    As bocas de fumo estão a todo vapor, os usuários fazendo o que bem entendem nas ruas e vielas da cidade e nada da polícia intervir, fazem políticas de isolamento no centro da cidade e os jovens seguem se aglomerando nós braços e vielas e fazem uso de suas drogas .

  2. Marjanna disse:

    O que adianta fazer tudo isso e os ônibus vir e ir para os bairros lotados, descaso com a população que não está de quarentena, libera logo a frota completa e coloca mais ônibus mas linhas e parem com essas palhaçadas

  3. Antônio Marcos disse:

    Higienização e preciso em toda cidade, principalmente perto dos hospitais e cemiterios

Deixe uma resposta