Motoristas de ônibus em Sorocaba (SP) paralisam atividades

Coletivos foram recolhidos após às 8h da manhã desta quarta e sindicato alega atrasos e cortes nos pagamentos

WILLIAN MOREIRA

Logo após às 8h da manhã desta quarta-feira, 15 de abril de 2020, os ônibus da cidade de Sorocaba, no interior de São Paulo, foram recolhidos para as garagens. O motivo é uma manifestação contra cortes nos salários e o não pagamento de direitos trabalhistas.

De acordo com o Sindicato dos Rodoviários, as empresas que atuam no município não pagaram corretamente o salário e direitos de trabalho como Participação nos Lucros e Resultados (PLR), Premio por Tempo de Serviço (PLS) e horas-extras, referente ao mês de março.

Ainda hoje será realizado uma audiência por videoconferência entre o sindicato, empresas e poder público para que seja alcançado um acordo e o serviço venha a ser normalizado.

Existe a palavra por parte do sindicato representante da categoria, que após algumas horas parados, os coletivos vão voltar a circular e atender os passageiros.

Por meio de nota divulgada para a imprensa, a Urbes, órgão municipal de transportes e transito disse não saber precisar o tempo que o transporte ficará parado, mas que deve voltar a funcionar ainda hoje, mas segue buscando um entendimento entre as partes e assim evitar maiores prejuízos a população.

“Por volta das 8h15 da manhã desta quarta-feira (15), a Urbes – Trânsito e Transportes detectou que os ônibus do transporte coletivo estavam sendo recolhidos às garagens pelo sindicato da categoria. Neste momento, não há como precisar o tempo em que o sistema ficará paralisado, mas a informação é que os ônibus voltarão a circular ao longo do dia. A Urbes preza pela operação do transporte coletivo e espera que haja entendimento entre as partes o quanto mais rápido, a fim de que não haja prejuízo à população.”

Por sua vez, as empresas Consor e STU alegaram em nota que o coronavírus e as medidas de contingenciamento social causaram queda na arrecadação das receitas, mas que para evitar suspensão de contratos, foi proposto o pagamento da PLR e PLS em uma data posterior não tão distante.

“Devido à pandemia do coronavírus, que resultou em diminuição da arrecadação, e para evitar a suspensão do contrato de trabalho conforme autorizado pelo governo federal, propusemos que os pagamentos da Participação de Lucros e Resultados (PLR) e o Prêmio por Tempo de Serviço (PTS) sejam realizados em um futuro próximo, quando a situação for normalizada.”

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta