Linha 407L-10 teve reforço de frota, mas ainda continua lotada, reclamam passageiros

Publicado em: 3 de abril de 2020

Logo após a catraca, passageiros muito próximos uns dos outros contra as recomendações da OMS

Segundo SPTrans, movimentação está sendo monitorada e novos ajustes podem ser feitos

ADAMO BAZANI

Após queixas dos passageiros, notícias da imprensa e de monitoramentos próprios, a SPTrans – São Paulo Transporte, que gerencia o sistema na capital paulista, tem reforçado a frota em diversas linhas . Foi feito um corte na segunda-feira para 40% da frota habitual devido à queda de demanda de cerca de 75% em decorrência da medidas de contenção ao coronavírus.

Mesmo assim, algumas linhas que foram reforçadas ainda registram lotação.

É o caso da 407L-10 (Barro Branco – Metrô Guilhermina-Esperança), operada pela Express Transportes Urbanos, na zona Leste de São Paulo.

Leitores e até mesmo funcionários do sistema relataram lotação na linha mesmo fora dos horários de pico, o que contraria as recomendações da Organização Mundial da Saúde em época de pandemia, como a da Covid-19, que teve origem na China e, em meses, se alastrou por todo o mundo.

Imagens enviadas para o Diário do Transporte pouco antes de meio dia desta sexta-feira revelaram um dos ônibus lotados com passageiros em pé.

“Praticamente todos os ônibus estão andando assim. Tem lotação ainda” – disse um dos funcionários.

“Até fora dos horários ‘tá’ assim. Essa linha não pode cortar mais ônibus, tem que aumentar mais. Estamos com medo” – disse a estoquista Maria Fernanda dos Santos.

Por meio de nota, a SPTrans informou ao Diário do Transporte que a linha já recebeu reforço nesta sexta-feira, 03, mas que acompanha a operação e pode fazer novos ajustes de acordo com a demanda.

A SPTrans informa que identificou a necessidade de ajuste na operação da linha 407L-10 Barro Branco – Metrô Guilhermina-Esperança e já reforçou sua frota nesta sexta-feira, 03 de abril.

Mesmo após os ajustes realizados nesta semana, a SPTrans seguirá monitorando diariamente a movimentação de passageiros e fará os ajustes necessários para adequar a frota à demanda e garantir o transporte público à população, em especial trabalhadores de serviços essenciais.

Como mostrou o Diário do Transporte, na segunda-feira, 30 de março de 2020, por causa da queda de, em torno de 75% da demanda, a frota foi reduzida para 40% do habitual, mas muitas linhas tiveram lotação, o que pode colocar em risco a vida das pessoas em época de pandemia.

Na terça-feira (31/03), a frota foi ampliada em 151 ônibus, na quarta-feira (01/04) em mais 50; na quinta-feira (02/04) foram mais 30 ônibus e, na sexta-feira (03/04) outros 163, todos distribuídos em diversas linhas, registrando assim aumento de 40% para pouco menos de 45% do percentual em operação em comparação aos dias normais.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta