Coronavírus: Osasco observa redução de demanda de 25% e anuncia redução de frota no transporte coletivo

Atualmente, a frota conta com 382 ônibus. Foto: Adamo Bazani.

Sistema vai operar com tabela de férias escolares, com 30 veículos a menos

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Osasco, na Região Metropolitana de São Paulo, informou por meio de nota ao Diário do Transporte que observou uma queda acima de 25% no uso do transporte coletivo por conta do coronavírus.

Por esse motivo, a administração municipal divulgou que decidiu reduzir a frota do transporte coletivo. A partir de quinta-feira, 19 de março de 2020, as operadoras de transporte público terão 7% de ônibus a menos em operação.

Atualmente, a frota conta com 382 ônibus, o que significaria uma redução de cerca de 30 veículos em circulação.

Segundo a Prefeitura, a redução do uso dos coletivos pelos estudantes e seus responsáveis é a principal causa da redução da demanda. Portanto, será antecipado o uso da tabela de férias (redução da frota durante recesso escolar).

Além disso, na próxima semana será avaliada a necessidade de novas reduções. As aulas estarão totalmente suspensas no município a partir de 23 de março.

MEDIDAS

A Prefeitura informou também que, por meio do Decreto nº 12.391, de 16 de março de 2020, vem adotando medidas temporárias e emergenciais de prevenção de contágio pelo novo coronavírus (COVID-19), no âmbito da administração pública direta e indireta do Município.

Foi elaborado um conjunto de medidas a serem adotadas pelas operadoras visando minimizar ao máximo o risco a saúde dos usuários e dos colaboradores, confira:

– manter as janelas dos veículos sempre abertas para melhor circulação do ar (o ar condicionado dos veículos serão desligados, para se manter os vidros abertos);

– aumentar e também intensificar a higienização dos ônibus, especialmente dos balaústres e suportes de apoio (“pega-mão”), além de tentar fazer a higienização durante etapas do dia, quando possível (os veículos passarão por uma pré-higienização ao chegarem na garagem e passarão por uma limpeza mais intensa antes de saírem para circulação)

– fornecimento de álcool em gel 70% para a tripulação;

– orientar os cobradores a incentivar os usuários para utilizar o pagamento da passagem pelo cartão eletrônico, evitando o contato com dinheiro;

– recomendação aos idosos que evitarem sair de casa;

– orientar todos os colaboradores sobre os cuidados recomendados pelo Ministério da Saúde e autoridades sanitárias quanto as medidas de prevenção ao coronavírus, e multiplicar essas medidas preventivas aos usuários do transporte público.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. André disse:

    Nada disso tem ocorrido pelo menos na linha de ônibus que tenho utilizado. Eles aumentam o intervalo para 40 minutos, o ponto de ônibus no km 21 lotado,janelas fechadas, ônibus sujos, aglomeração. Não existe nenhuma fiscalização sanitária. Osasco é um caos!

Deixe uma resposta