Empresas de ônibus de transporte rodoviário desenvolvem ações voltadas à proteção ambiental

Publicado em: 14 de fevereiro de 2020

Montagem com fotos de Paulo Sergio Alves Venâncio, Flavio Rodrigues Silva e Luis Soares (da esquerda para a direita)

Cases da Expresso Itamarati, Unida Mansur e Águia Branca refletem preocupação do setor

ALEXANDRE PELEGI

As empresas do setor de transporte rodoviário intermunicipal e interestadual de passageiros vêm demonstrando, já há alguns anos, uma preocupação maior com questões que transcendem o simples objetivo do negócio.

Dentre elas, destacam-se principalmente a inovação com foco na tecnologia e a preocupação com as questões ambientais.

Como mostrou o Diário do Transporte, o própria o próprio Ministério da Infraestrutura lançou no início de fevereiro deste ano duas portarias relacionadas à Agenda de Sustentabilidade do Ministério para o período 2020-2022. Relembre: Ministério da Infraestrutura lança Agenda de Sustentabilidade para o período 2020-2022

As diretrizes devem nortear e permear todos projetos, ações e iniciativas a serem implementadas pelo setor de infraestrutura federal de transportes, como, por exemplo, promover a inserção das questões relacionadas à mudança do clima na infraestrutura de transportes.

Muitas das empresas associadas à Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (ABRATI) têm atuado nessa direção não é de hoje.

Veja alguns dos cases de três empresas do setor:

EXPRESSO ITAMARATI

A Expresso Itamarati, uma das mais importantes empresas de transporte do país com sede em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, possui uma frota de aproximadamente 1.000 ônibus, e opera no transporte de passageiros nos segmentos Rodoviário (Intermunicipal e Interestadual), Intermunicipal Suburbano, Urbano, Fretamento Continuo e ncomendas nos bagageiros dos ônibus.

Serve a centenas de municípios do norte, centro, noroeste e sudeste de São Paulo, Mato Grosso, Sul de Mato Grosso do Sul, Rondônia, sudeste Goiano e Minas Gerais.

Promove várias ações com foco na preservação do meio ambiente tanto em sua matriz como em suas filiais, como, por exemplo, a separação de resíduos em recipientes específicos e identificados com destinação final adequada/licenciada.

Segundo informações da empresa, há também o envio de óleo contaminado para empresa de re-refino devidamente licenciada.

Além disso, são realizadas as seguintes ações:

–  Operação em locais com solo impermeabilizado e contido com drenagem que conduz a estrutura de tratamento – caixa S.A.O nas saídas;

–  Logística reversa de baterias e panos contaminados com óleos/graxas;

– Ressolagem de pneus;

– Envio de carcaças sucateadas para fornecedor licenciado;

–  Operação da ETE + Rolo gerando a produção de água de reuso.

–  Conscientização aos colaboradores quanto ao reuso de papéis, consumo consciente e separação/envio para reciclagem;

–  Monitoramento de consumo de água/energia.

–  Teste de opacidade através do programa socioambiental DESPOLUIR, Programa Ambiental do Transporte iniciativa do SEST SENAT e da CNT (Confederação Nacional do Transporte);

–  Manutenção preventiva;

– Acompanhamento dos motoristas com maior índice de consumo de combustível através de monitores;

– Utilização de combustível S10 com baixo índice de poluição;

– Utilização do reagente ARLA com consequente redução da emissão de poluentes;

– Seleção de fornecedores cujos produtos são enviados em materiais recicláveis.

EMPRESA UNIDA MANSUR

A Empresa Unida Mansur, com sede em Juiz de Fora/MG, é outra afiliada à ABRATI que também desenvolve atividades voltadas à proteção ambiental.

Com cerca de 500 colaboradores e 150 veículos, entre ônibus dos tipos convencional e executivo utilizados em linhas regulares, turismo, fretamento e transporte de carga, a empresa percorre uma média de 900.000 km por mês, transportando em torno de 230.000 passageiros, sendo uma das principais empresas de ônibus da Zona da Mata de Minas Gerais.

Segundo a Unida, como é conhecida no mercado rodoviário, dentre suas atividades, além da adesão ao programa socioambiental DESPOLUIR, Programa Ambiental do Transporte iniciativa do SEST SENAT e da CNT, a empresa é pioneira na adoção de energia limpa e atualmente a maior produtora de energia solar de Juiz de Fora. O investimento realizado na tecnologia fotovoltaica permitiu que Matriz e mais duas filiais passassem a ser autossustentáveis de energia elétrica.

A iniciativa coloca a Unida como umas das pioneiras do segmento de transportes rodoviário de passageiro a adotar a tecnologia. A produção mensal atual é suficiente para abastecer 100 casas populares por mês.

A Unida promove ainda outras ações de responsabilidade sócio ambiental:

– Coleta seletiva: onde além do lado ambiental também é realizado uma ação social, pois todo material coletado é vendido para reciclagem e o valor apurado é convertido em brindes para os funcionários envolvidos na ação; e

– Coleta de água da chuva para lavar o piso da área de manutenção.

VIAÇÃO ÁGUIA BRANCA

A Viação Águia Branca, pertencente ao Grupo do mesmo nome, um dos maiores conglomerados empresariais de transporte e logística do país com sede no Espírito Santo, atua em todo o Brasil nos serviços de transporte aéreo e rodoviário de passageiros, logística e comércio de veículos.

Tem seu foco em sustentabilidade, avaliando e identificando impactos ambientais, e sempre adequando suas atividades para promover medidas de preservação ao meio ambiente.

Em 2011 venceu o Prêmio Boas Práticas do Transporte Terrestre de Passageiros (ANTP/ABRATI) na categoria “Responsabilidade Socioambiental”.

Um dos destaques entre as ações sustentáveis da Águia Branca está a política interna de reaproveitamento da água utilizada na lavagem dos ônibus da empresa. Toda a água utilizada para a lavagem é encaminhada para um sistema de triagem, no qual é realizada a separação de água e óleo, e, em seguida, segue para filtros para a retirada das impurezas e do odor, retornando para o uso em novas lavagens.

Essa iniciativa, que já existe há 30 anos, proporciona redução em 50% o consumo de água e ainda reaproveita 31,2 milhões de litros de água por ano, o que daria para encher 12 piscinas olímpicas. São cerca de 2,6 milhões de litros de água utilizados por mês na lavagem dos ônibus, que acontecem nas garagens de Cariacica, Colatina, São Mateus e Nova Venécia (ES), Salvador (BA), São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ). Outra iniciativa é a utilização da água de chuva em algumas garagens, que é destinada à própria lavagem dos veículos e vestiários.

A limpeza dos veículos é feita todos os dias, e toda a água utilizada para a lavagem é encaminhada para um sistema de tratamento, conforme explica o gerente de Suprimentos e Meio Ambiente, Virgílio Pasolini. “A água usada passa por sistema de separação de água e óleo, e, em seguida, segue para filtros para o tratamento, retornando para o uso em novas lavagens”. A água da chuva também é aproveitada na empresa para a limpeza dos ônibus.

No sistema de reaproveitamento de água implantado na Matriz da Águia Branca, em Cariacica, a água gerada pelos equipamentos de ar condicionado das Áreas Administrativas, é coletada e reutilizada posteriormente na lavagem dos pisos, veículos leves e jardins. Além disso, a água gerada pelo sistema de ar-condicionado dos ônibus também é reutilizada na limpeza dos para-brisas e para a descarga dos banheiros os ônibus. Esse sistema foi uma iniciativa da Águia Branca e que passou a ser adotada pela fábrica que produz os veículos. Desde então, todos os ônibus saem de fábrica com o sistema que reutiliza a água do ar-condicionado.

Para aprimorar as técnicas de reaproveitamento, foi instalado, em Cariacica, também um sistema de tratamento dos efluentes da lavanderia, carroceria, do lavador de chassis e de peças dos veículos. Com esse sistema a água também é reaproveitada na lavagem dos veículos e nos banheiros dos ônibus.

CONDUÇÃO DOS ÔNIBUS

A Águia Branca aposta há 40 anos na condução econômica dos veículos e redução de gases na atmosfera.

Com medidas simples na maneira de guiar os ônibus, a Águia Branca conseguiu aliar economia de diesel e manutenção à segurança e proteção ao meio ambiente

Para uma empresa do setor de transporte de passageiros, que possui uma frota de 800 ônibus e transporta cerca de 11 milhões de passageiros anualmente, a segurança nas viagens – não só em relação aos passageiros, mas em relação ao uso do equipamento -, os custos com combustível e manutenção estão entre as principais preocupações para viabilizar cada linha operada, entre as mais de 300 sob concessão da empresa.

Implantada desde a década de 1980, o controle referente ao uso de óleo diesel nos ônibus da empresa já registrou uma redução de 12% no consumo desse combustível.

Se bem entendidas e praticadas na íntegra, é possível obter ótimos ganhos com a redução do consumo de combustível, bem como a elevação da vida útil de peças e componentes mecânicos, como os sistemas de freios e embreagem, pois guiando com previsão o condutor passa a utilizar adequadamente o equipamento.

Segurança – Além das vantagens econômicas obtidas pela empresa através da Condução Econômica – tanto no que se refere ao gasto com óleo diesel quanto com a manutenção dos veículos –, o programa traz benefícios aos passageiros já que as medidas adotadas também tornam as viagens mais seguras e confortáveis.

Entre as medidas tomadas pelos motoristas estão a troca correta das marchas, a utilização correta dos freios para evitar o esforço desnecessário do veículo, a utilização de giro do motor dentro da faixa adequada e o aproveitamento da inércia do ônibus. Todas as ações evitam gastos desnecessários, tornam a condução preventiva e a viagem mais segura.

Meio ambiente – As medidas adotadas pelos motoristas da empresa a fim de se alinharem ao Condução Econômica fazem com que o programa também seja uma importante ação em prol do meio ambiente. Com a redução da quantidade de diesel utilizado, o impacto ambiental das operações também é minimizado através da redução de emissão de poluentes – a cada 1 Litro de diesel economizado, deixamos de emitir 2,671Kg de CO2 na atmosfera.

NOVA FROTA

A preocupação com a gestão ambiental é muito forte dentro da Águia Branca. Além da manutenção preventiva dos veículos e a condução econômica que é ensinada para os motoristas, é realizado também o controle dos componentes responsáveis pela queima de combustível, o que contribui com menor e emissão de gases poluentes.

A modernização da frota, realizada anualmente pela empresa é outro ponto positivo. Em 2019, os 90 veículos adquiridos foram equipados com modernos motores, proporcionando maior eficiência operacional.

Os ônibus são equipados com tecnologia BlueTec5 (SCR) que trata os gases nocivos ao meio ambiente antes de serem emitidos na atmosfera. O conjunto chassis/carroceria utilizado pela Águia Branca permite muito mais eficiência no consumo de diesel e também redução na emissão de poluentes. Mais ainda: contamos com um time de Instrutores, Motoristas, Profissionais de Manutenção e equipe de Condução Econômica, que não medem esforços para o aproveitamento pleno do equipamento, reduzindo a emissão de poluentes e contribuindo para práticas sustentáveis.

Esta tecnologia permite com que a redução de material particulado (MP) seja de 80%, de óxido de nitrogênio (NOx) seja de 60%. A redução da emissão do monóxido de carbono (CO) seja de 29%.

Com as ações de conscientização ambiental desenvolvidas, a Águia Branca conquistou três lugares na categoria ouro da 17ª edição do Prêmio QualiAr em 2019, que homenageia as empresas do setor de transportes e logística engajadas na causa ambiental.

Reserva Águia Branca: muito verde, beleza e uma imensidão de conhecimento a ser compartilhado Fauna, flora, água e biodiversidade, tudo reunido numa área de preservação da Mata Atlântica. Um cenário paradisíaco que além de beleza também oferece uma imensidão de conhecimento a ser descoberto e compartilhado. Essa é uma boa forma de apresentar a Reserva Águia Branca, localizada entre os parques estaduais de Forno Grande e de Pedra Azul, no município de Vargem Alta, na região de montanhas do Espírito Santo, com uma cobertura vegetal que é destaque: 91% são florestas primárias ou em estágios avançados de regeneração. Além disso, a Reserva abriga dezenas de nascentes e 11 cursos hídricos que integram a bacia do Rio Itapemirim.

Criada em 2017 pelo Grupo Águia Branca, a área possui 2.225,64 hectares com vasta diversidade de fauna e flora, sendo 76,3% já definidas como RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural) e o restante em fase de formalização.

A Mata Atlântica é um dos biomas brasileiros mais ameaçados no País e no Espírito Santo, e segundo o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) sua conservação é vista como desafio, já que mais de 1,8 mil espécies da fauna e flora correm risco de extinção.

No caso específico da Reserva, a unidade de conservação ajuda a preservar mais de 800 espécies de plantas e animais, como a saíra apunhalada (Nemosiarourei). O pássaro chegou a ser considerado extinto no Brasil, mas nos últimos anos reapareceu na área da Reserva, despertando a curiosidade dos visitantes.

Presidente do Grupo Águia Branca, Renan Chieppe defende que a Reserva é um importante legado que será deixado para as futuras gerações. “Por meio da Reserva, firmamos um compromisso com o futuro e estamos extremamente felizes pela oportunidade de compartilhar essa área belíssima, que temos orgulho de cuidar enquanto promovemos a reconexão das pessoas com a natureza”.

A Reserva Ambiental recebe visitantes com ações de educação ambiental e também oferece opções de lazer e trilhas, por meio de agendamento online pelo telefone (27) 99942-0474 ou pelo e-mail contato@reservaaguiabranca.com.br. O local ainda possui estrutura para eventos, com um auditório para até 80 pessoas.

Birdwatching – A fauna local da Reserva atraiu pesquisadores e estudantes que participaram no Estado do Congresso Brasileiro de Ornitologia para a prática do birdwatching (observação de pássaros), em julho. Na oportunidade, os visitantes puderam ouvir e observar com lunetas, binóculos e câmeras digitais mais de 100 espécies de aves, além de mamíferos, como o sagui da cara branca.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Com informações fornecidas pelas empresas

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta