CPTM revoga licitação para implantação da estação provisória de Jundiaí da Linha 7–Rubi

A Estação Ferroviária de Jundiaí foi inaugurada pela São Paulo Railway em 16 de fevereiro de 1867, após sete anos de obra.

Certame realizado em 2018 foi suspenso na fase de homologação após recurso de empresa concorrente

ALEXANDRE PELEGI

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) revogou a licitação que visava a execução de obras e serviços de engenharia para a implantação da estação provisória de Jundiaí da Linha 7–Rubi.

A Licitação era necessária por causa das obras de restauro e adequação da centenária Estação existente. A estação é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan), e pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat).

Para não interferir nas obras de restauro, Jundiaí demandava a implantação de uma estação provisória em galpão a noroeste da estação existente, segundo a Companhia.

A concorrência foi realizada em 05 de setembro de 2018, com prazo dos serviços de 8 meses.

O critério de julgamento era o menor preço total, com valor base estimado pela CPTM para a obra de R$ 4.394.997,60.

No dia 05 de dezembro de 2018, a Companhia anunciou que haviam sido habilitadas as empresas Robmak Engenharia Ltda e Esteto Engenharia e Comércio Ltda, e declarou inabilitada a Construtora Ohana Eireli.

Considerando a inabilitação da Construtora Ohana Eireli, classificada em 2º lugar, a CPTM decidiu realizar nova Sessão Pública destinada à abertura do Envelope B [documentos para habilitação] da 4ª proponente classificada, Pilão Engenharia e Construções Ltda, no dia 13 de dezembro de 2018 às 10:00 horas.

No dia 13 de dezembro de 2018, porém, a Companhia de Trens suspendeu a licitação em razão do recurso administrativo interposto pela Construtora Ohana Eireli, contra o resultado do julgamento dos documentos para habilitação.

No dia 31 de janeiro de 2019 a CPTM não aceitou o recurso da Ohana Eireli, e comunicou que no dia 04 de fevereiro daquele ano a concorrência continuaria.

No entanto, na data de 14 de janeiro de 2020 a CPTM decidiu revogar a licitação em definitivo, conforme publicado no Diário Oficial do Estado daquele dia, com prazo legal de 5 dias para a interposição de recursos.


jundiai_revoga


HISTÓRICO

A Estação Ferroviária de Jundiaí, inaugurada pela São Paulo Railway em 16 de fevereiro de 1867, passou a atuar como ponto inicial da linha tronco da Companhia Paulista de Estradas de Ferro No início dos anos 1870, seguindo de Jundiaí até Campinas.

A São Paulo Railway (SPR), conhecida ainda como “Ingleza”, foi a primeira estrada de ferro de São Paulo, construída entre 1862 e 1867 por investidores ingleses.

Ligava Jundiaí a Santos, e até 1930 transportou café e outras mercadorias, além de passageiros, do interior de São Paulo para o Porto.

Desde 1994, a estação é administrada pela CPTM, e hoje integra a Extensão Operacional da Linha 7-Rubi.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. E vendo esta foto e observando tijolos gastos pelo tempo, pode comprometer a plataforma,,,acho bom se técnicos fizesse uma avaliação,,,para evitar rupturas…

Deixe uma resposta