“Trólebus” a R$ 5,10: Bilhete de papel é opção para sentir aumento um pouco depois

Publicado em: 25 de janeiro de 2020

Tarifas da EMTU sobem neste domingo, 26. Cartão BOM descontará já pelos valores novos

ADAMO BAZANI

Como mostrou o Diário do Transporte em primeira mão, neste domingo, 26 de janeiro de 2020, as tarifas dos ônibus metropolitanos gerenciados pela EMTU têm reajuste.

Os valores variam de acordo com a extensão e o tipo de linhas. Na Grande São Paulo, o reajuste médio será de 5,46%.

No Corredor Metropolitano ABD, popularmente chamado de corredor de trólebus pela população, o reajuste é de 6,47%, com a tarifa passando de R$ 4,80 para R$ 5,10.

O aumento maior que a inflação de um ano (o IPCA de 2019 foi de 4,31%) é justificado pelo fato de a empresa concessionária Metra ter assumido mais serviços de manutenção da infraestrutura do corredor, como troca de pavimento.

Uma forma de tentar pelo menos sentir um pouco depois o aumento no caso do corredor é comprar os passes tipo “Edmonson”, que são aqueles de papel parecido com cartolina e com uma fita magnética no meio.

Os bilhetes podem ser comprados nos próprios terminais servidos pela empresa Metra ou em estabelecimentos comerciais autorizados ao longo da área do corredor.

Mas atenção, sabendo do aumento, alguns comerciantes já estão vendendo neste sábado o bilhete mais caro, o que é proibido.

O “passe da Metra” vale R$ 4,80 até 23h59 deste sábado, passando para R$ 5,10 neste domingo, 26 de janeiro.

O bilhete de papel não tem prazo limite de validade, mas o passageiro deve estar atento à forma de guardar para não estragar: evite colocar o passe perto de áreas com magnetismo. Não molhe, não amasse e evite guardar naqueles compartimentos de plástico da carteira que “colam” no papel.

Não adianta carregar o Cartão BOM para escapar do aumento.

Diferentemente do Bilhete Único, por exemplo, o Cartão BOM não desconta créditos de viagem e sim valores. Isso porque, ele é aceito em todos os ônibus “da EMTU” na Grande São Paulo que têm diferentes tarifas.

ABAIXO, MAIS INFORMAÇÕES SOBRE OUTROS AUMENTOS DA EMTU:

ÁREAS DA GRANDE SÃO PAULO: 

Veja todas as tarifas neste anexo: NOVAS TARIFAS EMTU GRANDE SÃO PAULO

Aumento médio de 5,46%, sendo que em cada área, os percentuais foram:

– 5,25% para a Área 1: Cotia, Embu, Embu-Guaçu, Itapecerica da Serra, Juquitiba, São Lourenço da Serra, Taboão da Serra, Vargem Grande Paulista e São Paulo)

–  5,49% para a Área 2: Barueri, Cajamar, Caieiras, Carapicuíba, Francisco Morato, Franco da Rocha, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus, Santana de Parnaíba e São Paulo

– 4,85% para a Área 3: Arujá, Guarulhos, Mairiporã, Santa Isabel e São Paulo

–  6,07% para a Área 4: Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Suzano e São Paulo

– 5,64% para a Área 5: Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra e São Paulo

INTEGRAÇÃO CAPÃO REDONDO E CAMPO LIMPO:

– Integração entre linha 5-Lilás do Metrô e atendimentos metropolitanos, em Capão Redondo e Campo Limpo: -No sentido Metrô X Ônibus Intermunicipal, os usuários integrados na Estação Campo Limpo, pagarão ao cobrador do ônibus a diferença entre o valor da tarifa básica do sistema metroferroviário, R$4,40 e a tarifa de integração da linha utilizada. A tarifa de integração vai variar de R$ 0,75 a R$ 1,45

LINHAS DOS AEROPORTOS:

-R$ 55,05 para Seletivas Especiais Expressas Guarulhos (Aeroporto Internacional de São Paulo) – São Paulo (Aeroporto de Congonhas), Guarulhos (Aeroporto Internacional de São Paulo) – São Paulo (Circuito dos Hotéis) e Guarulhos (Aeroporto Internacional de São Paulo) – São Paulo (Terminal Rodoviário Barra Funda) via Terminal Rodoviário Tiete

-R$ 6,75 para linhas intermunicipais comuns Guarulhos (Aeroporto Internacional de São Paulo) – São Paulo (Estação Tatuapé do Metrô)

 ENTRE EMTU E EXPRESSO TIRADENTES NO TERMINAL SACOMÃ

Tarifas passam a variar de R$ 5,20 a R$ 7,60

C-004TRO-000-R São Bernardo do Campo (Pq. Alvarenga) – São Paulo (Terminal Sacomã) via São Bernardo do Campo (Jardim Laura) Riacho Grande R$ 6,80

C-006TRO-000-R São Bernardo do Campo (Jardim Nazareth) – São Paulo (Terminal Sacomã) via São Bernardo do Campo (Paulicéia) Mobibrasil R$ 6,20

C-008TRO-000-R São Caetano do Sul (Nova Gerti) – São Paulo (Terminal Sacomã) Tucuruvi R$ 5,20

C-063EX1-000-R Rio Grande da Serra (Santa Tereza) – São Paulo (Terminal Sacomã) Ribeirão Pires R$ 7,60

C-063TRO-000-R Ribeirão Pires (Ouro Fino Paulista) – São Paulo (Terminal Sacomã) via Ribeirão Pires (Jardim Santa Luzia) Ribeirão Pires R$ 7,60

C-066TRO-000-R Santo André (Jardim Las Vegas) – São Paulo (Terminal Sacomã) via Santo André (Jardim Alvorada) Publix R$ 7,45

C-123TRO-000-R São Caetano do Sul (Terminal Rodoviário Nicolau Delic) – São Paulo (Terminal Sacomã) via São Paulo (São João Clímaco) Tucuruvi R$ 5,20

C-152TRO-000-R São Bernardo do Campo (Área Verde) – São Paulo (Terminal Sacomã) via Rodovia Anchieta) Riacho Grande R$ 6,80

C-153TRO-000-R São Bernardo do Campo (Conjunto Terra Nova II) – São Paulo (Terminal Sacomã) via São Bernardo do Campo (Av. Senador Vergueiro) Riacho Grande R$ 6,80

C-154TRO-000-R São Bernardo do Campo (Jardim Nazareth) – São Paulo (Terminal Sacomã) via São Bernardo do Campo (Rudge Ramos) Mobibrasil R$ 6,80

C-158TRO-000-R Mauá (Jardim Zaira) – São Paulo (Terminal Sacomã) EAOSA R$ 7,45

C-160TRO-000-R Mauá (Jardim Adelina) – São Paulo (Terminal Sacomã) via Mauá Itapark) EAOSA R$ 7,45

C-212TRO-000-R Diadema (Jardim Sapopemba) – São Paulo (Terminal Sacomã) via Diadema (Serraria e Jardim Campanário) Mobibrasil R$ 6,20

C-236TRO-000-R Diadema (Terminal Metropolitano Piraporinha) – São Paulo (Terminal Sacomã) via Vila Nogueira e Jardim Canhema Mobibrasil R$ 6,20

C-431TRO-000-R São Bernardo do Campo (Jardim Las Palmas) – São Paulo (Terminal Sacomã) Riacho Grande R$ 6,80

C-493TRO-000-R Santo André (Príncipe de Gales) – São Paulo (Terminal Sacomã) VIPE R$ 5,75

C-493DV1-000-R Santo André (Príncipe de Gales) – São Paulo (Terminal Sacomã) via Santo André (Fundação Santo André) VIPE R$ 5,75

C-494TRO-000-C São Caetano do Sul (Terminal Rodoviário Nicolau Delic) – São Paulo (Metrô Alto do Ipiranga) – Tucuruvi – R$ 5,20

INTEGRAÇÃO CPTM LINHA 10 E EMTU em RIO GRANDE DA SERRA:

R$ 7,15 pelo Cartão BOM: Bilhete Integrado Metropolitano (Linha 10 Turquesa) com Ônibus Intermunicipal na Estação de Rio Grande da Serra

CAMPINAS: 

Veja todas as tarifas neste anexo: CAMPINAS-EMTU

Aumento médio nas tarifas dos ônibus de 6,89%

BAIXADA SANTISTA:

Veja todas as tarifas neste anexo: BAIXADA-EMTU

Aumento médio nas tarifas dos ônibus de 3,33%

VLT – Veículo Leve sobre Trilhos entre Santos e São Vicente: R$ 4,55

LITORAL NORTE E VALE DO PARAÍBA:

Veja todas as tarifas neste anexo: VALE-LNORTE-EMTU

Aumento médio nas tarifas dos ônibus de 6,56%.

SOROCABA E REGIÃO: 

Veja todas as tarifas neste anexo: SOROCABA-EMTU

Aumento médio nas tarifas dos ônibus de 6,56%

Nesta sexta-feira, 24 de janeiro de 2020, ônibus e trólebus gerenciados pela EMTU já traziam o comunicado de reajuste para este domingo, 26.

O valor das tarifas varia de acordo com a região atendida, extensão das linhas e tipo de serviço (se é com ônibus comum ou ônibus seletivo).

   

EXPECTATIVAS:

O reajuste das tarifas dos ônibus metropolitanos neste ano de 2020 foi marcado por mudanças de datas que deixaram passageiros confusos.

Inicialmente, o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, enviou em 13 de janeiro de 2020, comunicado ao presidente da Alesp – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, deputado Cauê Macris, informando que o reajuste seria aplicado em 19 de janeiro de 2020.

Mas não houve definição a tempo de todos os valores e dos novos custos de integrações e o reajuste não foi aplicado em 19 de janeiro.

No dia 23 de janeiro, as empresas de ônibus começaram a imprimir os avisos sobre reajuste em 26 de janeiro e, no dia 24, alguns coletivos já ostentavam o comunicado, mas sem informações dos valores.

No aviso, era informado que os valores estariam no site oficial da EMTU, mas a gerenciadora não atualizou a página na internet no dia 24.

Ao lerem canais de notícias e os comunicados nos ônibus, passageiros ficaram informados sobre a aplicação dos aumentos, mas até então não sabiam o quanto iriam pagar nas catracas.

A EMTU gerencia os ônibus metropolitanos na Grande São Paulo, Região de Campinas, Região de Sorocaba, Litoral Norte e Vale do Paraíba, e na Baixada Santista.

Também é de responsabilidade da EMTU, o gerenciamento do  VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) operado pela BR Mobilidade (Grupo Comporte) entre Santos e São Vicente, e dos ônibus e trólebus operados pela Metra no Corredor Metropolitano ABD.

O corredor liga São Mateus, na zona Leste de São Paulo, ao Jabaquara, na zona Sul, por municípios do ABC em 33 quilômetros e tem extensão de 12 quilômetros entre a cidade de Diadema e a região do Brooklin, na zona Sul de São Paulo. O sistema totaliza 45 quilômetros.

ANÚNCIO DE FROTA NOVA PRESTES A AUMENTO:

No mesmo dia em que os ônibus traziam o comunicado do aumento de tarifa e orientavam o passageiro a procurar o site da EMTU, a gerenciadora comunicava em seu portal oficial que a Secretaria dos Transportes Metropolitanos determinou que as concessionárias do sistema intermunicipal na Região Metropolitana de São Paulo incluam, em 2020, 561 veículos novos com ar-condicionado em substituição aos ônibus que completarão dez anos de uso.

A exigência dos novos ônibus, segundo a EMTU, faz parte de um aditivo contratual firmado com as empresas operadoras das quatro áreas de concessão e a empresa Metra, que opera as linhas do Corredor ABD.

O aditivo anunciado pela EMTU em 24 de janeiro de 2020, não citou a Área 5, correspondente ao ABC Paulista, que não é concessão. Os serviços não passam de meras permissões precárias, isso porque, nesta região, nunca foi realizada licitação por causa dos empresários locais.

Por cinco vezes, os donos de viações do ABC Paulista esvaziaram a concorrência alegando não concordar com as exigências da EMTU pelo fato de os custos operacionais da região, segundo estes empresários, serem mais altos que das outras áreas operacionais e não haver estudos de impacto de obras de mobilidade como o monotrilho da linha 18 e o Expresso ABC da CPTM.

O monotrilho não vai sair mais do papel. O governador João Doria substituiu o projeto dos trens leves com pneus por um corredor BRT, que vai ser operado por empresários de ônibus.

O Expresso ABC, em sua essência, não vai sair tão cedo. Originalmente, seria um sistema auxiliar a linha 10-Turquesa. Hoje, na prática, o que existe é um serviço semi-expresso, entre Santo André e Tamanduateí, parando em São Caetano, que parte de meia em meia hora somente em horários de pico: para Tamanduateí de manhã e para Santo André à tarde.

Em uma sexta vez, no âmbito de uma das recuperações judiciais mais longas da história da Justiça Brasileira, usando um processo de Manaus, o empresário Baltazar José de Sousa conseguiu bloquear a licitação no ABC, mas a decisão já foi revertida pela EMTU.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/01/24/sem-licitacao-definida-e-prestes-a-aumentar-tarifa-emtu-promete-561-novos-onibus-com-ar-condicionado-em-2020/

EM 2019, REAJUSTE FOI EM 20 DE JANEIRO:

Como mostrou o Diário do Transporte, o reajuste anterior das tarifas da EMTU foi em 20 de janeiro de 2019.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/01/18/em-primeira-mao-tarifa-dos-trolebus-e-onibus-do-corredor-abd-vai-para-r-480-neste-domingo-20-sobem-tambem-tarifas-dos-demais-onibus-do-sistema-emtu-e-vlt-da-baixada/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. acima da Inflação, além que bus eletricos tem menos gastos, a não ser a energia, mas temos os híbridos da Metra, gastam menos,,,,só sei que só favorece a quem não repõe carros novos na Linha como Baltazar José e seus carros capengas (EAOSA-S. CAMILO,URBANA e RP),,,que compra arrendados, por exemplo da ABC, Vip Usado já que a empresa de SBC comprou mais de 22 novos com ar condicionado…

  2. Rui Fernandes disse:

    Os terminais do corredor ABD, em especial o de São Mateus, é horrível, iluminação péssima (quem tem baixa visão sofre ali), quando chove vira uma caverna, escuro e cheio de goteira. Banheiro outro ponto lamentável, a Metra pode ser menos pior q muitas outras empresas, mas tá a milênios de ser a maravilha muitos falam que é

  3. Tiago disse:

    Tem coisa de 10 anos ou menos que a tarifa no corredor ABD era menor que a da capital/metrô/cptm. Já está 70 centavos acima. Coisa feia Governador, segurou o aumento nos trilhos e descontou nessas vergonhosas linhas intermunicipais.

  4. Roberson disse:

    Vdd Tiago, reajustes em pleno final de semana, acima da inflação e depois essa pagina fica justificando os reajustes com planilhas que só os empresários consegue entender.
    Impressionante a passividade dos usuários, dos meios de comunicação que em momento algum se coloca a nosso favor.
    Doria está em Davos entregando tudo de mão beijada para investidores chineses, achando que isso irá baratear os serviços prestados ao estado.

Deixe uma resposta