Socicam vai receber R$ 3,9 milhões por apresentar modelo de concessão de terminais de ônibus municipais em São Paulo

Publicado em: 10 de janeiro de 2020

Proposta inclui modernização de espaços de terminais.

Empresa, que já atua nos terminais sendo contratada das empresas de ônibus, participou de procedimento de manifestação de interesse

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São Paulo vai repassar R$ 3,9 milhões – R$ 3.961.511,65 (três milhões, novecentos e sessenta e um mil quinhentos e onze reais e sessenta e cinco centavos) para a empresa Socicam Administração, Projetos e Representações Ltda.

O valor é correspondente a um ressarcimento pela empresa ter participado do PMI – Procedimento de Manifestação de Interesse aberto pela administração municipal para receber estudos de modelagem para concessão de 24 terminais de ônibus da cidade.

A companhia, que já atua nos terminais em São Paulo contratada pelas empresas de ônibus elaborou uma proposta de modelagem que deve ser utilizada nas concessões dos espaços. A Socicam administra também diversos terminais de ônibus rodoviários no País, entre os quais Tietê, Barra Funda e Jabaquara, na capital paulista.

Os estudos apresentados pela Socicam englobam a modelagem “operacional, econômico-financeira, jurídica, urbanística e de engenharia e arquitetura para a administração, manutenção, conservação, exploração comercial e requalificação de 24 terminais de ônibus do Sistema de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros”

Os terminais envolvidos são:

1 Amaral Gurgel

2 Antônio Estêvão de Carvalho

3 Aricanduva

4 Bandeira

5 Casa Verde

6 Cidade Tiradentes

7 Grajaú

8 Guarapiranga

9 Jardim Ângela

10.João Dias

11.Lapa

12.Mercado

13.Parelheiros

14.Parque Dom Pedro II

15.Penha

16.Pinheiros

17.Pirituba

18.Sacomã

19.São Miguel

20.Santo Amaro

21.Sapopemba

22.Varginha

23.Vila Carrão

24.Vila Nova Cachoeirinha

O despacho autorizando o pagamento foi publicado nesta sexta-feira, 10 de janeiro de 2020.

O chamamento é de 2017, ainda com João Doria frente à prefeitura.

Na ocasião, a administração municipal havia informado que, por dia, estes terminais recebem 712 mil passageiros. Somados, os espaços têm 360 mil metros quadrados.

A gestão ainda afirmava à época que o custo anual era de R$ 130 milhões para manter estes terminais, mas a receita era de R$ 7,1 milhões (5,5% dos custos).

COMISSÃO DE LICITAÇÃO PARA CONCEDER TERMINAIS:

O Diário do Transporte já mostrou nesta sexta-feira, 10, que apenas dois dias depois da promulgação da lei que possibilita concessões de áreas públicas na cidade à iniciativa privada, a gestão do prefeito Bruno Covas já oficializou a comissão de licitação de Parceria Público-Privada (PPP) para conceder os terminais de ônibus municipais.

A iniciativa privada deve realizar investimentos em modernização dos terminais e regiões adjacentes em troca de exploração comercial por quiosques e imobiliária, com a possibilidade de construção de shoppings, postos de serviço, escolas, faculdades, prédios de escritórios e até condomínios residenciais nos terrenos dos terminais de ônibus.

Acesse e saiba mais detalhes:

https://diariodotransporte.com.br/2020/01/10/gestao-bruno-covas-cria-comissao-de-licitacao-para-conceder-terminais-de-onibus/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Wilson disse:

    rs !!!!!! PMI – Procedimento de Manifestação de Interesse aberto pela administração municipal para receber estudos de modelagem para concessão de 24 terminais de ônibus da cidade. eta Brasil…sil….sil….sil………………..sil…………..

  2. Alfredo disse:

    Quanto desperdício de dinheiro, Terminais abandonados, tomados por ambulantes, lugares onde não há segurança, iluminação adequada, o de Santo Amaro está virando um mercado de camelôs, o de São Mateus tem tarifa zero aos sábados e domingos, todos entram e viajam de graça, esse é o pior prefeito da história de São Paulo, nem considero o seu antecessor porque Ele fugiu do cargo, São Paulo merece alguém melhor que estes gestores de araque

Deixe uma resposta