Supervia diz que trens chineses voltam a circular nesta segunda-feira, 13, com horário normal

Trens foram tirados de circulação porque foram detectados problemas em série nas caixas de tração (engrenagem que transmite energia do motor para eixo e rodas)

ADAMO BAZANI

A Supervia, que opera os trens no Rio de Janeiro, informou na tarde desta quinta-feira, 09, que todos os trens chineses que foram encostados para manutenção voltam a operar na segunda-feira, 13 de janeiro de 2020.

Quarenta composições tinham sido retiradas de circulação porque foram detectados problemas em série nas caixas de tração (engrenagem que transmite energia do motor para eixo e rodas).

“Boa notícia! A partir de segunda-feira (13/01), estará normalizada a circulação de todos os nossos ramais (intervalos e número de viagens) com a volta gradativa dos trens chineses à frota operacional. A operação vinha sendo ajustada desde novembro de 2019, à medida que o fabricante realizava os reparos nas caixas de tração e nos devolvia os trens. Com o avanço do processo liderado pela Secretaria de Transportes de Estado e muita dedicação, conseguimos antecipar para segunda-feira (13/01) a normalização da operação.” – diz nota da Supervia desta quinta-feira,  09 de janeiro de 2020.

Com isso, a empresa diz que todos os intervalos voltam ao normal nos ramais e estações.

Acompanhe:

Os trens chineses de um segundo lote de compras feitas pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro foram incluídos na operação da SuperVia entre 2014 e 2016. Em setembro de 2016, a Supervia detectou problemas, em especial na caixa de tração (engrenagem que transmite energia do motor para eixo e rodas) e comunicou os fabricantes, a chinesa CRRC.

Após análise técnica, foi identifica a necessidade de substituição do tipo de peça. Desde novembro de 2018, a fabricante passou a realizar um recall até que em junho de 2019, em vistorias, novas falhas foram identificadas.

A partir daí, por decisão da própria CRRC, foi suspenso o trabalho até nova medida para solução definitiva.

Por estar ainda em período de garantia, a manutenção das referidas caixas de tração é responsabilidade do Consórcio CRRC, de acordo com contrato firmado entre os chineses e o Estado”, informou o comunicado da Supervia na ocasião.

A medida afetou diretamente a rotina de mais de 700 mil usuários que utilizam os serviços da concessionária diariamente.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Jardel César Prado disse:

    A série 2500 da CPTM é igual ao trem chinês da supervia

  2. Edgardo disse:

    China=Lixo

Deixe uma resposta