Obras do Complexo Viário Cassaquera, em Santo André, têm início previsto para primeiro trimestre de 2020

Abertura das propostas para execução dos trabalhos será no dia 10 de janeiro. Foto: Divulgação / CAF.

Prefeitura e CAF assinaram contrato para financiamento de US$ 50 milhões

JESSICA MARQUES

As obras do Complexo Viário Cassaquera, em Santo André, no ABC Paulista, têm início previsto para primeiro trimestre de 2020, conforme informado pela Prefeitura.

Nesta segunda-feira, 30 de dezembro de 2019, mais um passo foi dado para viabilizar a obra de mobilidade. O prefeito Paulo Serra esteve em Brasília para assinar o contrato de financiamento de US$ 50 milhões junto ao CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina).

Os recursos serão utilizados tanto nas obras do Complexo Viário Cassaquera quanto na construção do piscinão do Parque da Juventude Ana Brandão.

A construção do Complexo Viário Cassaquera contempla a criação de um novo sistema viário na avenida Luiz Ignácio de Anhaia Melo até a rua Fernando Costa, melhorando a ligação da avenida Giovanni Batista Pirelli com a avenida Valentim Magalhães, criando uma nova opção para os motoristas que queiram acessar o Rodoanel.

Segundo a Prefeitura, a nova estrutura da via será composta por duas pistas (de três faixas cada) e sete travessias sobre o córrego Cassaquera, que será canalizado em um trecho de 1,7 quilômetro, o que vai melhorar o escoamento de águas de chuva e minimizar possíveis alagamentos na região.

“Temos duas prioridades com esse contrato, promover o combate às enchentes que assolam bairros na região da Vila América há pelos menos duas décadas e fortalecer um novo eixo econômico, melhorando a mobilidade na avenida Luiz Ignácio de Anhaia Mello, por meio do Complexo Viário Cassaquera”, afirmou o prefeito Paulo Serra, em nota.

A assinatura do contrato ocorreu na sede do CAF na capital federal e contou com a presença do representante do banco, Jaime Holguin, e da procuradora da Fazenda Nacional, Sônia de Almendra Freitas Portella Nunes.

“Em Santo André, as obras irão impactar vários bairros e melhorar a mobilidade tanto interna quanto em corredores de ligação com municípios vizinhos. São intervenções que mudam, de forma definitiva, a qualidade de vida das pessoas em uma cidade”, disse o representante do Banco de Desenvolvimento da América Latina, Jaime Holguin.

A licitação para definir a empresa que será contratada pelo Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) para realizar as intervenções foi publicada pela autarquia em 20 de novembro, com previsão de abertura das propostas no dia 10 de janeiro.

Também em janeiro, serão abertas propostas dos contratos de gerenciamento e de supervisão de obras, item que é uma exigência do CAF.

“Ao longo do ano que vem serão abertas outras licitações, entre elas a concorrência para elaboração do projeto executivo do piscinão do Parque da Juventude, etapa necessária para a realização da obra”, informou a Prefeitura, em nota.

Leia também: Após autorização de empréstimo de US$ 50 milhões, Santo André prevê obras de mobilidade para segundo semestre

O empréstimo do CAF também será utilizado para melhorias no sistema de resíduos sólidos e no sistema de monitoramento de chuvas da cidade, por meio de projetos que ainda estão em fase de elaboração, segundo a Prefeitura.

DRENAGEM

Além das obras de mobilidade, a Prefeitura de Santo André informou que o  empréstimo do CAF também será utilizado para a construção de um piscinão e melhorias no sistema de resíduos sólidos e no sistema de monitoramento de chuvas da cidade, por meio de projetos que ainda estão em fase de elaboração.

O piscinão subterrâneo que será construído no Parque da Juventude Ana Brandão terá capacidade média para armazenar 264.225,49 m³ de água, minimizando os riscos de transbordamento do córrego Guarará, na avenida Capitão Mário Toledo de Camargo.

Cerca de 125 mil pessoas que moram na região da Vila América serão beneficiadas com a construção do piscinão, que vai combater enchentes em bairros como Jardim Ipanema, Jardim Irene, Jardim Santa Cristina, Jardim Santo André, Parque João Ramalho, Vila Helena, Vila Humaitá, Vila Junqueira, Vila Lutécia, Vila Luzita, Vila Pires, Vila Suíça e Vila Tibiriçá.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Mobilidade. O local de maior mobilidade humana está lá na Estação central da cidade, e volto aqui a repetir, do por que o prefeito nada faz ali para abrir mais as bocas de lobo, já que a 30m existe um canal largo que transfere toda a água de chuvas para o Tamanduateí? Por que não aproveita esse alargamento na Rua Itambé e fazer ao mesmo tempo, com liberação e acordo com a CPTM, de parte da calçada para alongar a baia de embarque e desembarque??? Se fosse um prefeito inteligente forçaria o DAEE-Depart. de Aguas e Energia do Estado, a desassorear o fundo leito do rio É OBRIGAÇÃO, DEVER DO ESTADO….o maior dos problemas que enfrentamos é o próprio rio…Se ele vai canalizar o Cassaquera, só vai mesmo aumentar volume lá no trecho da Rhodia à Sta Terezinha, empacando o escoamento das águas na estação. O estado é grande culpado da enchente no centro de Santo André…Vão lá na estados e vejam o leito do rio,,,,fotografe e mostre isso aqui pessoal..Será que só eu vejo isso????

  2. Cristina Castro disse:

    Verdade o povo de Santa Terezinha sofre com as enchentes, minha irmã mora lá e perdeu tudo o ano passado com a enchente isso ninguém fala né.

  3. Lufamily@solua.com Andrade disse:

    Entendo a necessidade de fazer algo pelas pessoas q sofrem com enchentes mas destruir a única área de lazer q temos que tantas pessoas usam acho um absurdo o parque Ana Brandão apesar de precisar de Manutenção é maravilhoso cheio de árvores e pássaros com ótima opção de lazer ,não acredito que não tenha uma outra opção pra resolver o problema das enchentes.

  4. Edna Antunes Borges disse:

    Prefeito ,cadê o parque Guaraciaba que vocês disseram que as obras já teriam começado? Por enquanto não se quer uma máquina no local, nenhuma movimentação, só a placa,não queremos placas, queremos que cumpra com o que foi dito,não adianta ficar falando que vai fazer piscina vó parque da juventude,os moradores Raquel região já tem pelo menos uma área de lazer, nós do Guaraciaba, Vila progresso e redondezas não temos nada,nem uma praça.
    Para de falar e aja prefeito.

Deixe uma resposta