Condephaat autoriza projeto de construção da Estação João Dias da CPTM

Publicado em: 27 de dezembro de 2019

Maquete da estação João Dias — Foto: Divulgação/CPTM

Órgão do Patrimônio Histórico do Estado autorizou também a Companhia a requalificar calçadas de estações

ALEXANDRE PELEGI

O CONDEPHAAT – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico, órgão subordinado à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, publicou no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira, 27 de dezembro de 2019, duas deliberações que favorecem projetos da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.

A primeira delas refere-se a bens tombados ou em estudo de tombamento, o que é o caso do projeto de requalificação das calçadas e acessibilidade nas Estações Ferroviárias Mooca, Luz, Lapa 7, Jaraguá e Perus.

A segunda diz respeito ao projeto de construção da Estação João Dias da CPTM, em lote situado na Avenida das Nações Unidas, 17.007, entre as estações Granja Julieta e Santo Amaro da linha 9-Esmeralda (Osasco Grajaú). Neste caso, trata-se de áreas envoltórias de tombamento.

Como mostrou o Diário do Transporte no caso das calçadas, o Departamento do Patrimônio Histórico, órgão da Secretaria Municipal da Cultura de São Paulo, já havia autorizado a prefeitura a reformar as calçadas no entorno de algumas estações tombadas das Linhas 7-Rubi e 10-Turquesa da CPTM.  Relembre: Patrimônio histórico autoriza reformas de calçadas no entorno de estações das Linhas 7- Rubi e 10-Turquesa

Já o projeto da construção da Estação João Dias da CPTM, este foi objeto de procedimento de manifestação de interesse pela iniciativa privada aberto pela Companhia. O objetivo foi receber doações sobre direitos de propriedade para a construção da estação João Dias, da linha 09 – Esmeralda. Relembre: Empresa oferece doação para a Estação João Dias da linha 9 e CPTM abre manifestação de interesse à iniciativa privada

A parada vai ser localizada entre as estações Santo Amaro e Granja Julieta. A estimativa de demanda é de 10,7 mil passageiros por dia e, inicialmente, a previsão de entrega era até 2021.

O procedimento foi necessário diante da oferta para a CPTM de doação da Brookfield Properties, investidora e gestora global de ativos imobiliários da Brookfield. A empresa ofereceu os direitos sobre propriedade de unidade autônoma em condomínio do empreendimento imobiliário, com torres residenciais, que possui ao lado da área correspondente à futura estação.

A Brookfield faz a doação com propósito específico de implantar a estação João Dias, o que a execução das obras e o projeto “contemplando o edifício de acesso, a plataforma de embarque e desembarque e a passarela de acesso, sobre a Avenida das Nações Unidas, que interligará a estação à plataforma de embarque, além da infraestrutura ferroviária da Linha 9 – Esmeralda, que inclui realocação temporária da rede aérea e sinalização ferroviária”.

CPTM_Condephaat

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta