Patrimônio histórico autoriza reformas de calçadas no entorno de estações das Linhas 7- Rubi e 10-Turquesa

Publicado em: 23 de dezembro de 2019

A Estação Juventus-Mooca foi tombada em 18 agosto de 2017, um dia após o tradicional bairro completar 461 anos.

CPTM tem 12 estações tombadas como patrimônio histórico de São Paulo

ALEXANDRE PELEGI

O Departamento do Patrimônio Histórico, órgão da Secretaria Municipal da Cultura de São Paulo, autorizou a prefeitura a reformar as calçadas no entorno de algumas estações tombadas das Linhas 7-Rubi e 10-Turquesa da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.

O trabalho será realizado por meio do Programa Recuperação de Calçadas, executado pelo FUNDURB – Fundo de Desenvolvimento Urbano.

O Fundo é composto por representantes do Poder Público e da Sociedade Civil, que determinam a destinação de recursos provenientes da arrecadação da Outorga Onerosa.

As estações estão tombadas pelo Patrimônio Histórico.

Em 17 de julho de 2010, oito estações da CPTM foram reconhecidas oficialmente como Patrimônio Histórico de São Paulo: Rio Grande da Serra e Ribeirão Pires, da Linha 10-Turquesa (Luz-Rio Grande da Serra); Caieiras, Jundiaí, Franco da Rocha, Perus, Jaraguá e Várzea Paulista, da Linha 7-Rubi (Luz-Jundiaí). Todas elas foram tombadas pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat).

Em 2017, após processo de análise que  iniciou em 2004 no Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental (CONPRESP), a estação Mooca da CPTM também foi tombada.

As estações Luz, Brás e Júlio Prestes se tornaram patrimônio histórico nos anos 1970/80.

A CPTM herdou o patrimônio da antiga São Paulo Railway (SPR), primeira ferrovia paulista, aberta em 1867, que impulsionou o desenvolvimento de São Paulo a partir da metade do século XIX, quando o café passou a ser o principal produto de exportação no Brasil e passou a ser escoado para o Porto de Santos pela ferrovia.

As estações tombadas estão entre as últimas estações que mantiveram a arquitetura original da segunda metade do século XIX, trazida pelos ingleses da SPR.

A autorização do Patrimônio Histórico, no entanto, conforme publicado no Diário Oficial da Cidade deste sábado, 21 de dezembro de 2019, traz algumas ressalvas quanto às obras em cinco estações: Lapa, Jaraguá, Perus e Luz (Linha 7-Rubi) e Mooca (Linha 10-Turquesa).

Veja a publicação feita no Diário Oficial deste sábado, 20 de dezembro de 2019:

calçadas_cptm

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta