Greve da Transunião da Zona Leste: mais uma linha com PAESE

Publicado em: 22 de novembro de 2019

Ônibus da Transunião, Foto: Arquivo

Ao todo são 41 linhas afetadas. Funcionários protestam contra atrasos nos pagamentos

ADAMO BAZANI

A SPTrans – São Paulo Transporte informou há pouco que mais uma linha da empresa Transunião, da zona Leste, está com Operação PAESE – Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência: a 2590: União de Vila Nova / Parque Dom Pedro II.

Assim, são agora três linhas com operação emergencial. Já estavam desde o início da manhã com PAESE, as linhas 3006 – Jardim Fanganielo/Estação CPTM Guaianases e 4051/10 – Jardim São Paulo/CPTM Guaianases.

A empresa, que surgiu de cooperativa de transportes, está parada porque, segundo os funcionários, não pagou o salário de novembro e os depósitos do Vale-Refeição estão com atrasos de três meses.

Agora são 41 linhas atingidas, com 436 ônibus. e a paralisação afeta moradores de Itaquera, Guaianases, Itaim Paulista e São Miguel.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Anomino disse:

    Queria sabe como uma empresa que nao cumpri nem com o funcionario os direitos dele por lei, ganharam a licitacao da cidade de sao paulo, alem de ganha o lote da imperial trans. E n pagar ninguem nesse meio tempo.

    Isso é uma vergonha pra cidade de sao paulo ter uma empresa desse jeito.

    1. WILLIAM DE JESUS SANTOS disse:

      Até o lançamento da licitação e finalização da concorrência a Transunião era considerada uma das “sensacoes” igual a Transwolff. Alguma coisa DEPOIS do fim da concorrência aconteceu, tanto que os atrasos segundo a materia é de 3 meses. Então não da pra aliar esse ocorrido com o fato dela ter ganho ou não a permissão de operar.

      Só pra constar não apoio esse tipo de falha de uma empresa, direitos tem qie ser cumpridos!

  2. Jofre de jesus disse:

    Tudo culpado Senhor Senival Moura que é dono da metade da frota…alô ministério público cadê você???

  3. Alfredo disse:

    Se tivesse um prefeito como Janio Quadros na chefia desta cidade, já teria havido intervenção e outra empresa assumiria as linhas e a prefeitura pagaria os funcionários, melhor ainda se a CMTC existisse, aí os funcionários estariam amparados e a empresa encampada pela prefeitura, mas o PSDB não se importa com os pobres trabalhadores e não faz nada, né Bruno Covas?

  4. Noise disse:

    3064 ainda de greve?

Deixe uma resposta