Uber e Governo do Estado lançam funcionalidade que integra informações do Transporte Público e do aplicativo privado

Publicado em: 14 de novembro de 2019

Secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, e diretora geral da Uber no Brasil, Claudia Woods. Foto: Adamo Bazani

Dentro da plataforma, é possível comparar preços e trajetos entre os carros de aplicativo, CPTM, Metrô e Ônibus da EMTU

ADAMO BAZANI
Colaborou Alexandre Pelegi

O secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, e a diretora da Uber no Brasil, Cláudia Woods, apresentaram na manhã desta quinta-feira, 14 de novembro de 2019, uma nova funcionalidade do aplicativo.

A Uber passa a mostrar no celular a opção de rota por transporte coletivo, incluindo ônibus da SPTrans, da EMTU, Corredor ABD, além de CPTM e Metrô.

A opção aparece na mesma tela onde já estão as possibilidades de escolha entre Uber X, Uber Black e outras modalidades.

A ferramenta vai mostrar os custos e o tempo de descolamento de cada meio de transporte.

De acordo com a diretora geral da Uber no Brasil, Cláudia Woods, aos poucos a funcionalidade está sendo inserida a partir de hoje com grupos de usuários, até que todos os paulistanos tenham acesso à opção.

Segundo a executiva, futuramente vai entrar na dinâmica do aplicativo a possibilidade de o passageiro escolher rotas para mesclar transporte público e Uber.

Mais para futuro ainda, a intenção é integrar meios de pagamento entre transporte público e o aplicativo.

PERDA DE PASSAGEIROS DO ÔNIBUS

Na entrevista coletiva, o Diário do Transporte questionou ao secretário Alexandre Baldy se a funcionalidade não pode tirar passageiros dos ônibus na última milha, onde mais Uber e coletivos concorrem.

Baldy acredita que não deve haver essa possibilidade com o modelo apresentado nesta quinta-feira.

O questionamento é porque no último trecho de uma viagem, após o uso do sistema de trilhos, o ônibus costumeiramente não tem corredor ou espaços preferenciais, em especial nas periferias, o que faz com que ele seja mais lento que o carro de aplicativo.

Além disso, as viagens de aplicativo na última milha costumam ter custos baixos, até menores que o ônibus se dois ou mais passageiros estiverem juntos.

A exibição das diferentes opções poderia ser um “convite a estimular as pessoas a deixarem o ônibus“.

Segundo a Uber, o objetivo da funcionalidade não é concorrer, mas incentivar o transporte público.
O principal objetivo de acordo com a empresa de tecnologia é fazer com que mais gente deixe o carro em casa e tenha mais opções de deslocamento, com a possibilidade de comparação.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaborou Alexandre Pelegi

Comentários

  1. Voces acham mesmo que o UBER vai fazer algo que não os favoreça ?!?!?!

    1. Reginaldo Moraes disse:

      Kkkkkkk verdade !
      É muito looby

  2. Alfredo disse:

    UBER quer encher seus bolsos e suas contas bancárias, tá se lixando pro usuário, tem que taxar este aplicativo e não fazer acordos com Eles, este é o governador que não merecemos, faça corredores e invista no Metrô, mostre que pode ser diferente dos 24 anos que seu partido ficou no Palácio dos Bandeirantes e tornou o transporte uma calamidade

  3. Rogerio Belda disse:

    O futuro as vezes demora mas chega. Lembrar que o primeiro automóvel a circular na Europa deveria ter um arauto a frente anunciando a vinda da tal “estruvenca”! É claro que podemos e até devemos ter grandes certezas, mas as vezes elas até mudam bem antes. Rogerio Belda

Deixe uma resposta